Rumor: Claro pode tentar barrar compra da Oi pela AT&T

Entenda como a operadora poderá ser afetada pela massiva operação em prol da americana AT&T.

Loja da Claro.
Imagem: Divulgação Claro

Começa hoje uma semana decisiva para o futuro da Oi e SKY no Brasil. A primeira enfrenta um cenário de recuperação judicial, dívida e resultados negativos, além dos fortes rumores de compra e fatiamento da sua operação.

Já a segunda pertence a americana AT&T, que adquiriu a companhia de mídia Time Warner e encontra barreiras para aprovar a aquisição no Brasil, graças a Lei da TV paga, que impede a compra justamente pelo fato da operadora ser dona da SKY.


De acordo com a legislação brasileira, é proibida a realização de propriedade cruzada. Isso significa que uma empresa distribuidora de conteúdo não pode deter mais de 50% em uma produtora de mídia.

A regra é para evitar um monopólio de emissoras, assim como a discriminação de concorrentes.

Em todo esse conflito, que circula entre executivos do governo e da Anatel desde 2016, a área técnica da agência já chegou a pedir pela venda da SKY, mas a AT&T negou com o argumento de que a sede da Warner fica nos Estados Unidos e não fere a lei.

O cenário mudou com a influência do governo na operação. De acordo com a Folha de S.Paulo, a aprovação da compra foi um pedido direto de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, em prol da relação estratégica com o Brasil.

Para avançar a situação, Randall Stephenson, presidente da AT&T, se encontrou com Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, e prometeu investimentos em todos os segmentos de telecomunicações, assim como manifestou um possível interesse pela Oi, caso a compra da Time Warner seja aprovada no Brasil.

VIU ISSO?
Americana AT&T formaliza seu interesse pela Oi
Governo pode mudar Lei da TV Paga; Como isso afeta as operadoras?
TV Paga está sentenciada à morte, diz Anatel

Entretanto, de acordo com o jornalista Daniel Castro, a Claro começou a atuar fortemente nos bastidores para barrar uma possível compra da tele carioca pela operadora americana.

E por qual motivo? Com a compra da Oi, a AT&T passaria a ser dona de toda infraestrutura de telefonia, TV paga e fibra ótica da operadora, assim como ainda teria a SKY e as programadoras da Warner como Turner e HBO.

Ou seja, a aquisição representa uma total ameaça ao império da Claro no Brasil, que é líder no segmento de TV por assinatura. Outra ameaçada seria a Rede Globo, que passaria a disputar os direitos das transmissões esportivas com mais uma concorrente.

As últimas informações garantem que os acionistas da Oi discutem qual é o melhor caminho para tele, em um cenário de venda: fatiar operações ou vende-la como um todo.

Se a primeira opção for escolhida, as operadoras nacionais como Vivo, TIM e Claro serão favorecidas e poderão comprar ativos da Oi para fortalecer suas atuações.

Entretanto, na escolha da segunda opção, a tele ficaria disponível para gigantes do mercado como a AT&T e empresas chinesas.

Independente da especulação que envolve a compra da Oi ser verídica ou não, a semana promete ser decisiva para o futuro da empresa, assim como para a situação da AT&T. O Senado deve votar importantes mudanças na legislação de TV por assinatura e telecomunicações.

Com informações do Notícias da TV, Jornal O Globo e Folha de S.Paulo

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
25 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários