MCTIC leva fibra óptica para as capitais do Nordeste

Programa vai ampliar inicialmente a infraestrutura de banda larga nas regiões norte e nordeste do Brasil.

Foto: MCTIC

O ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), inaugurou a primeira fase do programa “Ciência Conectada — Ciência Forte MCTIC”. O objetivo é expansão da rede de internet acadêmica de alta velocidade, denomina Rede Ipê, para institutos federais, estaduais e privados.

A rede de internet acadêmica — operada pela RNP — será ampliada de 10 para 100 Gbps por segundo, promovendo a inclusão digital, além de fomentar a economia e desenvolvimento local.


A primeira fase do programa atenderá 77 localidades, seis estados, 16 cidades, 64 instituições federais, estaduais e privadas. Até 2021, 16 redes metropolitanas vão proporcionar conexão para 1317 escolas. O investimento é de R$ 80 milhões e ativará 6.500 km de fibras ópticas.

VIU ISSO?
–> ViaSat lança Wi-Fi comunitário de até 25 Mbps em SP
–> Fibra ótica da Oi cresce e alcança 68 cidades
–> TIM Live chega em novas cidades

A cerimônia de inauguração, com a presença do ex-astronauta e atual ministro Marcos Pontes, foi realizada na última sexta (9), no auditório do Instituto Metrópole Digital, em Natal/RN.

“Precisamos iluminar o país com banda larga e radiodifusão, permitindo à população o acesso à informação e a melhoria da qualidade de vida nas regiões mais isoladas”, afirmou o ministro.

Segundo Pontes, a fase Nordeste é apenas o início do programa que, futuramente, abrangerá o país todo. Com isso, espera-se melhorar a pesquisa, educação, conhecimento e projetos das entidades atendidas.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

avatar
  Cadastre-se  
Notificação de