InícioInternet Banda LargaFibra ótica da Oi cresce e alcança 68 cidades

Fibra ótica da Oi cresce e alcança 68 cidades

Em julho, operadora expandiu sua rede para mais sete cidades. Iniciativa faz parte do plano estratégico da Oi, que tem a fibra como estratégia central.

Ilustração Fibra Ótica

Em recuperação judicial desde 2016, a Oi não mede esforços para conquistar a base de clientes perdida com os últimos problemas. Prova disso é a acelerada expansão da fibra ótica. Em julho, a operadora levou sua conexão de alta velocidade para mais sete cidades. O total agora é de 68 regiões atendidas.

Em março, a Oi estava apenas em 38 municípios, ou seja, o número subiu para mais 30 municípios em julho. A pretensão da companhia é aumentar a participação no setor de banda larga. Atualmente, a companhia ocupa a quarta posição com um total de 18,2% de participação no mercado.


A Claro, que absorveu a NET recentemente, tem a liderança com 30,1%. Na sequência, vem a Vivo que detém 23,3% do mercado. As informações são da consultoria Teleco e englobam todos os tipos de conexões ofertadas, seja por fibra ou outras tecnologias.

VIU ISSO?
– Conheça Joice, a inteligência artificial da Oi
– Nextel e Oi atuam de forma agressiva e irracional, segundo a TIM
– Oi segue exemplo da Claro e reduz taxa de remuneração das recargas

As cidades contempladas com a Oi Fibra foram: Barra Mansa (RJ), Caruaru (PE), Cataguases (MG), Caxias do Sul (RS), Governador Valadares (MG), Leopoldina (MG) e Piripiri (PI).

Em julho, a operadora comunicou seu novo plano estratégico e nele, a fibra ótica surgiu como uma estratégia central. Pela reutilização da infraestrutura já construída em cobre, a companhia vai expandir cada vez mais a conexão de alta velocidade.

No ranking de velocidade divulgado pela Netflix, a Oi Fibra atingiu o topo e tirou a liderança da Live TIM, que esteve por meses na posição.

Ao todo, já são 360 mil quilômetros de fibra ótica instaladas em todo o país. A projeção é que a banda larga fixa via fibra ótica atinja 4,6 milhões de residências em 2019. Parte do projeto de recuperação da empresa também é vender ativos não essenciais para a operação até o fim do ano.

Com a venda, a projeção de lucro é estimada em R$ 7 bilhões. Sobre as operações de telefonia móvel, a operadora investe na divulgação e nos testes do 5G, mas ainda não confirma a participação no leilão da tecnologia, previsto para março de 2020.

Com informações do Estadão

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

4 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
4 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários