quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Nove milhões de postes estão hoje em situação crítica nas ruas

O que você achou? 
É por isso que Anatel e Aneel abrem consulta pública para decidir medidas para limpar os postes, garantir mais segurança e preparar a chegada do 5G.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) querem buscar medidas para limpar os postes de energia elétrica usados pelas operadoras de telefonia. Hoje há 46 milhões de postes, sendo que 9 milhões estão saturados e em situação crítica.

É por isso que as agências estarão realizando uma tomada de subsídios, uma consulta pública até o dia 31 de outubro, sobre o compartilhamento de postes. Elas pretendem fazer uma análise de impacto regulatório e uma atualização da resolução atual que cuida do assunto.




De acordo com as entidades, o aumento na demanda pelas redes de telecomunicações é que tem saturado a ocupação dos postes. E a ideia, agora, é fazer uma "limpeza" para oferecer mais segurança e preparar a chegada do 5G. 

Em entrevista, o presidente da Anatel, Juarez Quadros, disse que a questão da competição hoje é muito maior do que antigamente, depois da desestatização. “São 40 milhões de acessos na telefonia fixa, 18 milhões de acessos de TV por assinatura, 5 mil operadoras de Serviço de Comunicação Multimídia e 31 milhões de acessos de banda larga fixa no país”, explicou.

Para a Aneel, toda essa bagunça acaba reduzindo a vida útil dos ativos de energia elétrica e aumentando o custo operacional das distribuidoras que prestam serviços, além de comprometer a segurança da rede elétrica.

LEIA TAMBÉM:

As demandas da Comissão de Resolução de Conflitos das Agências também têm aumentado. Neste ano, elas receberam 182 demandas, principalmente em relação aos preços de fixação dos cabos das operadoras.

A tomada de subsídios também vai receber sugestões sobre o preço do compartilhamento dos pontos de fixação dos postes, que é de R$ 3,19.

O diretor geral da Aneel, André Pepitone, contou que a receita obtida atualmente pelas distribuidoras com esse compartilhamento é de R$ 1,2 bilhão, mas R$ 720 milhões são direcionados às tarifas, com um alívio médio de 0,4% nas tarifas de energia. “Nossa expectativa é que, quando tudo estiver regularizado, principalmente nos grandes centros, esse percentual de redução na tarifa alcance 1,2%”.

Segundo o superintendente da Anatel, Abraao Balbino, a Eletropaulo já retirou 10 toneladas de cabos, que estavam sem uso ou eram clandestinos, dos postes em alguns bairros de São Paulo.


Um comentário:

  1. EM SP nos bairros periférico e tanto fio, que em muitos locais da ate curto, uma vergonha, sem contar os gatos infinitos de energia.

    ResponderExcluir