NET/Claro TV perdem 25 mil clientes em julho, mas lideram em TV paga

Setor registrou queda de 0,51% de junho para julho, mas Oi TV, Vivo TV e SKY marcam resultados positivos no mês.

Depois do leve crescimento da TV por assinatura no mês de junho, as operadoras voltaram a perder assinantes no mês de julho de 2018. De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o setor registrou uma queda de 0,51% de junho para julho, o que representou 91 mil clientes a menos na base.

Entre as principais operadoras, a Oi TV foi a que mais conquistou novos assinantes. Foram 9.152 somente em um mês, e 135.021 a mais no período de um ano (+9,44%).







A SKY, em números totais, foi a segunda operadora a ganhar mais clientes, com +4.237, seguida da Vivo TV, com +1.717.

LEIA TAMBÉM:
Em compensação, a NET e a Claro TV perderam 25.723 clientes de TV por assinatura, uma queda de 0,28% no mês. Ainda assim, dominam o market share no Brasil, com 50% do total, representado por 8.920.918 assinantes.
Veja o ranking completo de crescimento:
  1. Oi TV (+0,59%)
  2. Vivo TV (+0,11%)
  3. SKY (+0,08%)
  4. NET/Claro TV (-0,29%)
O lançamento crescente de novos serviços de streaming também vem influenciando na queda de assinantes na TV por assinatura brasileira. Em julho, o setor fechou com 17.828.575 clientes. Desse total, a SKY tem 5,2 milhões, a Vivo TV 1,6 milhões e a Oi TV 1,5 milhões.
Nos segmentos de telecomunicações, a banda larga é a única que registra constantes crescimentos nos comparativos mensais. Em telefonia móvel, setor que também registrou queda em julho, o total de clientes chega a 234 milhões.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Número de Comentários
0 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
0 Autores de comentários
Marcello Autores recentes de comentários
  Cadastre-se  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Marcello
Visitante

Bem vindos à era dos Cord Cutters! A Tv por assinatura só teve um leve fôlego durante a Copa, agora vão ter que encarar a realidade. Conforme as programadoras lançarem seus serviços de streaming individuais, o bicho vai pegar mais ainda.
A nova geração não vai pagar para assistir propagandas ou repetição cansativa de programas. Entramos na era do VOD, não tem volta. Eu assisto o que quero quando quero.