InícioNotíciasClaro denuncia ao Conar plano ilimitado de internet da Algar Telecom

Claro denuncia ao Conar plano ilimitado de internet da Algar Telecom

Operadora fica mais uma vez de olho na propaganda da concorrência e diz que oferta da Algar é enganosa.

Mais uma vez neste ano, a operadora Claro resolveu denunciar, ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), uma concorrente na telefonia móvel pelos planos que oferece aos seus clientes nos comerciais. Desta vez o alvo foi a Algar Telecom e seu plano “Giga Pós Ilimitado”.


Divulgado pelo ator Reinaldo Gianecchini, o plano que incomodou a Claro foi aquele anunciado em abril de 2018, como o primeiro do setor com internet ilimitada. Por R$ 99 por mês, o cliente não tem nem limite de dados e nem limite de voz. Ou seja, fala e usa a internet como quiser, à vontade e sem preocupações com custos adicionais.



Mas, segundo a Claro, os anúncios feitos pela Algar Telecom na televisão, na internet e também em material impresso são enganosos. “Ao contrário da promessa, haveria várias limitações na oferta não destacadas nos anúncios”, informa o Conar sobre a denúncia realizada.

De acordo com o texto publicado recentemente, uma reunião de conciliação entre as partes chegou a ser promovida pelo Conar, mas não resultou em acordo. O relator propôs a sustação liminar da campanha até o julgamento e, em junho, a decisão foi de alteração na campanha.
Isso porque, mesmo a Algar se defendendo e negando o que a Claro a acusava, o relator Ronaldo Boselli de Vitto considerou que as peças precisam ser reparadas, porque existe uma promessa exagerada por parte da operadora, e que quando a velocidade de acesso é reduzida, se trata de uma informação essencial ao consumidor.
LEIA TAMBÉM:
A Algar tentou explicar que não se deve confundir oferta ilimitada de acesso à internet com redução da velocidade de acesso a partir de um certo consumo. No seu plano Giga Pós ilimitado, os dados são de fato ilimitados na área local, mas, para usar o plano em roaming, há uma limitação de 10GB que, depois de alcançado, tem a velocidade de navegação reduzida de 1Mbps para 128Kbps.
O principal ponto da denúncia ao Conar, acatada pelo órgão, foi a ausência de informações importantes em anúncios, como a de que o consumidor não pode ultrapassar certa taxa de roaming, sob risco de ter o plano cancelado. 
“Certamente uma campanha publicitária não poderá trazer todo o detalhamento do plano oferecido por uma operadora em todos os seus materiais, mas isso não significa que mensagens essenciais sobre o plano não devam ser comunicadas de forma clara e ostensiva aos consumidores”, escreveu o relator em seu voto, que foi acolhido por unanimidade.
Em outra ocasião deste ano, a operadora Claro denunciou ao Conar a concorrente Nextel, que prometia ao consumidor uma internet sem bloqueio. Para ela, tudo não passa de uma oferta que leva o consumidor ao engano.

CONTEUDO RELACIONADO

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários

MAIS POPULARES