Reclamações registradas pela Anatel caem 17,6% em março

COMPARTILHAR:

TIM e NET foram as únicas empresas que não reduziram o número de reclamações em todos os serviços.


Caiu o número de queixas realizadas à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) contra as operadoras no mês de março de 2018. A redução foi de -17,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. A queda de reclamações ocorreu em todos os serviços. 


Em março deste ano, a Anatel registrou 266,4 mil reclamações. Foram 57 mil queixas a menos que em março de 2017, quando a agência recebeu 323,4 mil notificações.




As únicas empresas que não conseguiram reduzir o número de reclamações em todos os serviços foram a TIM e a NET. 

Na comparação entre o primeiro trimestre de 2018 com o de 2017, a TIM teve um aumento de 2,4% nas queixas em telefonia móvel

Já a NET subiu 7% o número de reclamações na banda larga fixa

Na telefonia móvel, o destaque ficou com a Nextel que conseguiu reduzir para quase metade o número de queixas (-47,3%) nos últimos 12 meses. A Oi teve uma redução de -25,2%, a Claro, -23,5%, e a Vivo, -22,4%. 



Na telefonia fixa, a Oi registrou menos 10,9 mil reclamações (-26,7%), a NET, menos 2,2 mil (-23,4%) e a Vivo menos 1,7 mil (-7,4%).



Na TV por assinatura, a SKY registrou menos 5,3 mil reclamações (-30,9%), o grupo NET/Claro menos 4,2 mil (-21,3%), a Oi menos 2 mil (-42%), e a Vivo se manteve estável com 3,1 mil reclamações.



Na banda larga fixa, a Oi registrou queda de 6 mil (-26,6%) reclamações e a Vivo reduziu 1.100 reclamações (-7,4%). 


Reclamações por serviço


A TV por assinatura foi o serviço que teve o melhor percentual na redução das reclamações, derrubando o número em -25,9% o número de queixas. 



Já a telefonia móvel teve uma redução expressiva, em números reais, das queixas, tendo 28 mil reclamações a menos, uma queda de -18,3%. 



A telefonia fixa teve menos 14,1 mil notificações, uma redução de -18,9%, e a banda larga fixa, menos 3,9 mil (-8,1%). 



Motivos


De forma geral, a maior reclamação dos consumidores diante dos serviços prestados pelas operadoras é relacionada às cobranças indevidas.

Na telefonia móvel, na modalidade pós-paga, 48,46% das reclamações eram sobre cobrança, 10,12% sobre qualidade e funcionamento, e 9,97% sobre ofertas e cancelamentos. 

Já na modalidade pré-paga, as 36.347 reclamações se dividiram em créditos pré-pagos (41,53%), ofertas, bônus e promoções (17,29%) e qualidade e funcionamento (15,12%).

Os principais motivos de queixas em fevereiro de 2018 na telefonia fixa foram sobre cobrança (35,37%), qualidade e funcionamento (24,05%) e cancelamento (10,31%). 

O serviço de banda larga registrou 45.077 reclamações divididas em: qualidade e funcionamento (46,37%), cobrança (21,19%), e instalação (9,36%). 

Foram registradas 33.640 queixas sobre TV por assinatura, os principais motivos foram: cobranças (44,64%), sobre qualidade e funcionamento (10,57%), e sobre bloqueio e suspensão (10,27%). 

Reclamações por estado


Todos os estados apresentaram redução no número de reclamações. Os estados que apresentaram as maiores reduções foram Roraima (-36%) e Amapá (-35,2%), na comparação entre março de deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
7 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários