Só em janeiro, 270 mil reclamações foram feitas à Anatel

Mas a TIM foi a única que aumentou número de queixas de celular em um ano, já que as outras operadoras apresentaram queda no período.

Em janeiro de 2017, usuários abriram 270,7 mil reclamações contra operadoras na página da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Todos os meses, a agência divulga a queda no número em uma comparação anual. Desta vez, foram 57,5 queixas a menos, ou seja, -17,5%.

De toda forma, ainda são muitas insatisfações relacionadas às operadoras de telefonia móvel, fixa, banda larga e TV por assinatura. É nessa ordem que as queixas diminuíram mais: em móvel (-21,3%), fixo (-16,9%), banda larga (-15%) e TV paga (-9%).



Por operadora
A Anatel destaca que quase todos os grupos que atuam no setor de celular apresentaram redução. A exceção foi a TIM, que teve um pequeno aumento de 500 reclamações. 
A operadora que conseguiu diminuir mais o número de reclamações foi a Vivo (19,5 mil/-43,5%), seguida da Nextel (-4,8 mil/-43,2%), Claro (-7,4/-22,9%) e Oi (-2,7 mil/-13,7%).
Em telefonia fixa, a Oi foi a que diminui mais o número de reclamações, seguida de Vivo e NET.
Já em TV por assinatura, a insatisfação parece continuar sendo uma realidade para os consumidores. A SKY teve, na comparação anual, mais de 1,6 mil reclamações a mais, o que representou um aumento de 12,7%. As outras operadoras, na verdade, como o Claro HDTV e NET, além de Oi TV e Vivo TV, tiveram diminuição.
LEIA TAMBÉM:
Quanto à banda larga, a NET teve 100 reclamações registradas a mais (+1,4%), a Oi queda de 6,8 mil (-28,3%) e a Vivo -2,8 mil (-19%).
Por serviço
Em relação às reclamações por serviço no mês de janeiro, a Anatel divulgou que:

  • No pós-pago, 48% das queixas foram relativas à cobrança;
  • 10,2% às ofertas e promoções ;
  • 10% à qualidade, funcionamento e reparo.
  • No pré-pago, 44,5% foram relativas ao crédito;
  • 18,6% às ofertas e promoções;
  • 14,5% à qualidade, funcionamento e reparo.

  • No fixo, 36,7% reclamaram da cobrança;
  • 23,9% da qualidade, funcionamento e reparo;
  • 9% de problemas com cancelamento.

  • Na TV paga, 44,4% também reclamaram da cobrança;
  • 11,5% do bloqueio e suspensão;
  • 10,1% da qualidade, funcionamento e reparo.

  • Na banda larga, quase 46% tiveram problemas com a qualidade, funcionamento e reparo;
  • 22,4% com cobrança;
  • 9% com a instalação e ativação do serviço.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários