quinta-feira, 8 de março de 2018

Oi registrou 8 mil ocorrências de furtos de cabos só no RJ em 2017

O que você achou? 
Empresa conta ao Minha Operadora as regiões mais afetadas pelas ações criminosas e o que costuma fazer nesses casos; veja mais dados sobre o assunto.

Somente nesta semana, o Minha Operadora divulgou dois casos de furtos de cabos de telefonia da Oi em diferentes regiões do Brasil. O problema é comum e prejudica não somente a rede da companhia, mas também os clientes e a população em geral. Pensando nisso, entramos em contato com a assessoria da Oi, operadora que tem a maior rede cabeada no país, para saber mais sobre esse tipo de ocorrência.

Os números surpreendem. Somente no Rio de Janeiro, em 2017, foram registrados 8.039 casos de furtos de cabos da Oi. O estado do RJ foi o que teve a maior incidência desse evento, seguido pelo Paraná (2.401), Rio Grande do Sul (1.529), Minas Gerais (1.287), Bahia (1.129) e Pernambuco (1.114).


A Oi afirma que os impactos são causados por ações criminosas e por atos de vandalismo, que acontecem principalmente nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul do país.


“Esse tipo de crime não afeta apenas clientes da Oi. Prejudica a população, o comércio e os hospitais”, diz Paulo Cesar Florentino, diretor de Infraestrutura da Oi. “Adotamos medidas preventivas que visam dificultar o furto de nossos equipamentos telefônicos e temos investido na criação de novas equipes de manutenção, que auxiliam no monitoramento e reparo dos danos à nossa rede, causados por roubos e vandalismo”.

A operadora ainda afirmou que costuma colaborar com os órgãos de segurança pública, fornecendo informações que possam auxiliar nas investigações, sendo que todos os casos de furtos são registrados em delegacias locais.

Além disso, a empresa mantém em funcionamento um canal para denúncias de furto de cabos de telefonia: o número é o 0800 282 5531. A ligação é gratuita e pode ser feita por qualquer pessoa em caso de suspeita do crime.

Dados da Telebrasil


Também falamos com a Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações), para saber qual foi o prejuízo que as maiores operadoras do país tiveram no ano passado com o furto de cabos de telefonia.

Em resposta, a associação informou que ainda não há dados atualizados de 2017, mas que, em 2016, pelo menos 5 milhões de clientes tiveram seus serviços interrompidos devido ao roubo ou furto de equipamentos.

LEIA TAMBÉM:

Na estimativa, 4 milhões de metros de cabos são roubados e furtados por ano, sendo que o custo de reposição alcança pelo menos R$ 320 milhões anualmente. A Telebrasil aproveita para destacar que todo esse valor poderia estar sendo investido na expansão e na melhoria dos serviços. Seriam recursos suficientes para instalar mais de 640 antenas.

A interrupção dos serviços por causa do roubo ou furto de equipamentos da rede gera uma perda de receita estimada de cerca de R$ 300 milhões ao ano.

Prejuízo de milhares de reais


Apesar de registrar os casos, a Oi disse que não divulga informações de metragem roubada ou mesmo valores, como o prejuízo da operadora com esse tipo de ocorrência.

Apesar disso, há outras operadoras que já passaram esse tipo de informação recentemente. A Vivo, por exemplo, somente de janeiro a outubro de 2017, em São Paulo, teve 398,2 quilômetros de cabos telefônicos roubados

Já a Sercomtel, com sede em Londrina, no Paraná, foi mais específica. Disse que, no ano passado, teve cerca de R$ 450 mil de prejuízo com o furto de cabos. O mês de dezembro nem havia acabado e somava 25% dos casos do ano, com mais de 50 ações de bandidos e R$ 73 mil de prejuízo em um único mês.

A operadora até chegou a pensar estrategicamente no assunto e implantou braçadeiras de aço para dificultar a vida dos ladrões que cortam os cabos. Mas, aparentemente, não adiantou.

Independentemente da empresa roubada, esse tipo de ação faz com que a operadora gaste na compra do material, com a mão de obra e também com equipes específicas para trabalhar na retomada do serviço. Enquanto isso, os clientes saem prejudicados, sem acesso ao serviço contratado.

Caso suspeite de alguma ação relacionada, é importante saber que as denúncias também podem ser feitas anonimamente e diretamente para a polícia.


3 comentários:

  1. Pense no que de pior pode existir na humanidade. Você com certeza encontrará no RJ!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não podemos generalizar, mas enfim... o famoso "jeitinho brasileiro" é coisa frequente no RJ.

      Excluir
  2. fiquei 15 dias sem telefone e velox, tive que cancelar a oi.
    a justificativa foi o roubo de cabo

    ResponderExcluir