terça-feira, 6 de março de 2018

Mais cabos e até portões da Oi foram furtados na última semana

O que você achou? 
Casos de furtos aconteceram na sexta-feira em diferentes regiões do Brasil.

Além do caso de furto de cabos da Oi em Várzea Grande (MT), divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Minha Operadora, outros dois casos envolvendo materiais da Oi foram destaque no final da semana passada.

Em um deles, foi uma quadrilha que furtou, mais uma vez, os fios de cobre da operadora em Teresina, nos bairros Vermelha e São Pedro. Cinco pessoas envolvidas no crime foram levadas para a Central de Flagrantes do estado, mas eles já haviam furtado mais de 2 mil metros de fiação em ações anteriores, que começaram há cerca de dois meses.



Segundo o investigador Hilton Barbosa, do 3º Distrito Policial, a quadrilha subia nos postes e furtava o equipamento da Oi, o que causava um prejuízo tanto para a companhia quanto para a população, que fica por um tempo sem o serviço. Depois, eles vendiam por um preço extremamente baixo para um sucateiro da região, que alegou não saber de onde vinham os fios.

LEIA TAMBÉM:

Em conjunto com a equipe de inteligência da empresa, o investigador afirmou que conseguiram deter alguns membros desse grupo. Daqueles cinco presos em flagrante, três foram autuados por roubo e dois por receptação.

Furto de portões


Quando o assunto são as operadoras de telefonia, os ladrões não param nos cabos. O outro caso recente divulgado também por sites de notícia locais foi o de um rapaz de 28 anos, que furtou sete portões da Oi em Barcelos, em São João da Barra, no Rio de Janeiro.

Depois do furto, ele decidiu vender todos os portões pelo valor de R$ 300. Durante a ação, foi pego pela Polícia de São João da Barra/RJ, se entregou e também o homem que havia comprado o material.

Os dois foram ouvidos, enquadrados no artigo 155 (pelo furto) e artigo 180 (por comprar e guardar o produto ilegal, sabendo de sua natureza). Mas, apesar do material ficar apreendido, parece que ambos foram liberados depois de interrogados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário