quarta-feira, 21 de março de 2018

Apagão atinge 13 estados e afeta os serviços das operadoras

O que você achou? 
ONS informou que a queda na energia foi causada por uma perturbação no sistema interligado nacional.

Um problema de interligação causou um apagão em, pelo menos, 13 estados da região Norte e Nordeste do país: Maranhão, Tocantins, Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia, Piauí, Pará, Amapá, Alagoas, Sergipe e Paraíba. 

[ATUALIZAÇÃO - 21/03/2018 20H12]:

A queda de energia, que atingiu metade dos estados brasileiros, teve início por volta das 16h desta quarta-feira (21). O motivo para o apagão foi uma falha técnica ocorrida na linha de transmissão da concessionária Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE), no Estado do Pará.   
A situação está sendo normalizada aos poucos. Em entrevista para o jornal Estadão, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, afirmou que às 19h, 100% da energia estava restabelecida no Norte. Por volta das 20h, o Nordeste já contava com 70% de sua carga normalizada.

Em alguns desses estados, a telefonia também foi afetada, já que algumas operadoras apresentaram problemas para completar chamadas ou no acesso à internet. 

Usuários das regiões atingidas pelo apagão reclamaram, no Twitter, da falta de sinal do celular, queda na banda larga e na telefonia fixa.












As operadoras Oi, Vivo, TIM, Claro e Net confirmaram que alguns clientes podem estar enfrentando dificuldades para acessar os serviços de voz, dados, TV por Assinatura, telefonia fixa e banda larga devido a interrupção no fornecimento de energia elétrica comercial. 

A Oi reforçou que as dificuldades são pontuais. "Equipes técnicas estão de prontidão, acompanhando a situação." A companhia ainda acrescentou que os equipamentos da operadora possuem geradores e baterias.

A Claro e a NET ressaltaram que "seguem acompanhando o caso de perto para garantir a normalização dos serviços no menor tempo possível."

A Vivo esclareceu que "os serviços estão sendo normalizados à medida que a energia comercial é restabelecida.”

A TIM enfatizou que "técnicos da companhia trabalham para normalizar completamente a prestação dos serviços o mais breve possível."

LEIA TAMBÉM:

O Downdetector mostra que, na maioria das operadoras, o número de reclamações sobre os serviços prestados se intensificaram a partir das 16h, horário do início do apagão, como é possível observar nos gráficos abaixo. 






No entanto, os mapas disponibilizados pelo Downdetector apontam que as reclamações estão sendo originadas, em sua maior parte, da região Sudeste






Possíveis causas do apagão

Em nota, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que o apagão foi causado por uma perturbação no sistema interligado nacional (SIN). 

O motivo está relacionado a uma falha técnica em um disjuntor de uma das estruturas de transmissão localizada na subestação Xingu, que recebe a energia da hidrelétrica de Belo Monte (no Pará), para que esta seja transmitida para a região Sudeste do País. A ONS explicou que os sistemas Sul, Sudeste e Centro-Oeste ficaram desconectados do Norte e Nordeste.


A queda ocorreu por conta de erro na calibração do disjuntor, equipamento que faz o controle automático da energia que passa pela linha. O componente estava calibrado para receber até 3.700 megawatts (MW) de potência, em vez de mais de 4 mil MW, como deveria. Nesta quarta-feira (21), quando a transmissão atingiu esse volume limite, o disjuntor simplesmente caiu, paralisando todo o resto da rede.

Ainda conforme o ONS, o problema no SIN “causou o desligamento de cerca de 18.000MW, correspondendo a 22,5% da carga total do SIN naquele momento." 

Outros prejuízos do apagão

Os campi de universidades de diversas cidades estão sem energia, levando as instituições a liberarem os alunos mais cedo. Estabelecimentos comerciais fecharam as portas antes do horário normal. Muitos lojistas não conseguiram fechar a conta e clientes saíram com o débito em aberto

Alguns hospitais que não possuem geradores ficaram em estado de caos, sem conseguir prestar atendimento correto aos pacientes, já que a maior parte dos equipamentos utilizam energia elétrica. 

As pessoas que estão voltando para a casa de carro devem ficar atentas, pois os semáforos em muitas cidades estão apagados, causando engarrafamentos. Nesses locais, o tráfego está funcionando com o auxílio de agentes de trânsito. 

O transporte público também foi afetado. Em Salvador, por exemplo, todas as estações de metrô foram fechadas, assim como as de trens.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao deixar a sua opinião no Minha Operadora você concorda em respeitar o nosso Código de Conduta.