segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Assim como na Claro, assalto na TIM causa pânico em shopping

O que você achou? 
Bandidos invadiram a loja da TIM com metralhadora no Mooca Plaza Shopping, assim como aconteceu há menos de dois meses no mesmo local, em loja da Claro.

Há menos de dois meses, o Minha Operadora noticiou um assalto que aconteceu na loja da Claro dentro do Mooca Plaza Shopping, um centro comercial localizado na zona leste de São Paulo. No último sábado (25), a cena se repetiu no mesmo local, e bandidos causaram pânico por volta das 20h ao assaltarem armados a loja da TIM.

Apesar de não haver confirmação de nenhum ferido, o pânico novamente dominou o estabelecimento, que estava lotado de crianças e consumidores neste final de semana devido às promoções da Black Friday e o evento “Magia de Natal”, que apresenta atividades e decorações natalinas especiais com personagens da Disney.


Falamos com uma moradora da região, Claudia Marques, que estava com o marido e o filho na TIM quando o assalto aconteceu. Eles haviam entrado na loja para se esconder, depois que viram o segurança do shopping sendo rendido por um dos bandidos.

“Infelizmente, o foco do assalto era exatamente a loja que entramos. O bandido, com a arma em punho, pediu para ficarmos quietos e perguntou pelo gerente e a chave do depósito”, relata Claudia. “Um dos funcionários falou que o gerente não estava. Nervoso, ele abriu a mochila que estava nas costas de uma garota, tirou uma metralhadora, engatilhou e disse: 'Vocês acham que não estou falando sério?'". Até então, as vítimas não sabiam que a mulher também participava do assalto.

Ao Minha Operadora, ela contou que viu toda a ação de dentro da loja, e que, após levar alguns celulares que estavam na vitrine – sem acesso ao depósito que procuravam –, os bandidos roubaram dinheiro do restaurante Bob’s, que fica ao lado da TIM, e correram para o estacionamento disparando tiros. “Foi horrível, pânico total”, afirma. 

Assim como aconteceu no mês passado, os visitantes se desesperaram dentro do shopping, tentando refúgio em lojas que fechavam as portas por conta dos assaltantes, dos disparos e vidros quebrados. Pelo Facebook, uma mulher descreve que a cena foi de “correria total, pessoas correndo, gritando, mulheres e crianças chorando e sem nenhum segurança”.

Do lado de fora, pela saída de algumas lojas, a situação também foi de desespero e correria, uma vez que o tiroteio aconteceu no estacionamento. Um vídeo enviado por Thayron Ribeiro à página “Vila Prudente da Depressão” mostra o momento em que vários policiais chegavam no local também com metralhadoras. Veja:


E A SEGURANÇA?

Assim como inúmeros moradores relataram nas redes sociais, Claudia também disse que os funcionários do Mooca Plaza Shopping não estavam preparados para lidar com o pânico. “Não tinha orientação de fuga ou de proteção. Eles abafaram o caso, disseram que estava tudo sob controle e que o shopping abriria normalmente no domingo”

De fato, o shopping abriu no domingo (26) e continuou com grande movimento. A defesa do Mooca Plaza foi uma única nota, idêntica à emitida no dia 1º de outubro, com o assalto da Claro, alterando apenas a data e hora do ocorrido e sem nenhum detalhe adicional:

"O shopping informa que na noite deste sábado (25/11) ocorreu um assalto em uma de suas lojas. A ação foi por volta das 20h15 e não houve vítimas. O shopping funciona normalmente, está à disposição das autoridades e colabora para a investigação do caso".

Em menos de dois meses, foram dois assaltos à mão armada em lojas de telefonia celular no local. Mais de 50 visitantes que presenciaram a cena no último sábado avaliaram negativamente o Mooca Plaza Shopping, pedindo por mais segurança, preparo e transparência com o visitante. Para Claudia Marques, é preciso se manifestar. “Não pode passar despercebido como se fosse um roubo de doce”.

LEIA TAMBÉM:


6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Falta de segurança do Shopping, funcionários despreparados. O que vimos foi uma cena que não sairá de nossas cabeças tão cedo, um show de horror! Estamos também indignados com a loja TIM, eles nos colocaram em risco eminente quando se negaram a entregar a chave de onde estava guardado os celulares. Foi nesse momento que o bandido sacou da mochila a metralhadora. Essa cena, que meu filho não tira da cabeça, poderia ter sido evitada se a chave fosse entregue. Temos a sensação de que os bens materiais tem mais valor do que as nossas vidas. A assessoria de imprensa soltou uma nota desprezível, nega que teve feridos. Depoimentos no próprio fb do shopping tem depoimentos de pessoas machucadas, uma quebrou o joelho e outra machucou a mão. Sem contar que tem comentários que que um segurança foi baleado e está em estado grave. Nós presenciamos uma ambulância, seguida por uma viatura da policia, que passou por nós em alta velocidade. Será que não houve vitima mesmo??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim,um vigia foi baleado no peito e está em estado grave.

      Excluir
    2. Falo isso com conhecimento de causa,pois sou policial.Os assaltos das telefonias celulares já são encomendados pelos detentos do CDP Vila Independencia, aquele do lado do Central Plaza, e os que sobram , são vendidos na "feirinha de domingo" à preço de banana para os parentes dos detentos. É só passar lá em dia de visita pra ver celulares novos desbloqueados vendidos à céu aberto. Todo mundo sabe disso.....

      Excluir
    3. Que absurdo!!! Me solidarizo com você Claudia Marques e concordo que não dá para ficar calado não! A banalização da violência é tamanha e os shoppings só querem saber do faturamento.

      Excluir
    4. Lilian, para a TIM, a minha vida, dos meus familiares e dos clientes que ali estavam, não valem mais do que os aparelhos que eles defendiam. Infelizmente, é assim que somos tratados.

      Excluir