quinta-feira, 16 de maio de 2013

TIM admite queda na qualidade, mas promete investir

O que você achou? 
Segundo o presidente da TIM, o Portas Abertas tem o objetivo de mostrar o compromisso da empresa com os usuários. Ele admitiu que houve queda na qualidade dos serviços, que teria sido decorrente do crescimento da companhia nos últimos 15 anos no país. “O crescimento trouxe enormes desafios. É uma indústria intensiva em infraestrutura e que requer muitos investimentos”, comentou.

A TIM prevê aplicar no Brasil R$ 10,7 bilhões até 2015, sendo 95% desse valor voltado à infraestrutura. Os investimentos em 2G e 3G somam cerca de R$ 4 bilhões, enquanto que a rede de transporte (backbones) receberá R$ 2,3 bilhões. Para 2013, estão previstos R$ 3,6 bilhões, com foco na infraestrutura móvel para a ampliação da rede.

O projeto Portas Abertas pretende apresentar o plano de melhorias da empresa, com evolução das entregas e dos indicadores de qualidade do serviço. Por meio do site, também é possível fazer consultas da cobertura real e de antenas, reportar falhas no serviço e consultar incidentes na rede que geram interrupções. 

O presidente da Anatel, João Rezende, e o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, participaram dapresentação do projeto, ontem. Rezende elogiou as ações da operadora e ressaltou a necessidade de investimentos em infraestrutura, na qualidade e na interação com o cliente. O ministro, por sua vez, disse que o governo só não vai ficar do lado das empresas se elas “brigarem com o consumidor”.

No ano passado, TIM, Claro e Oi tiveram as vendas suspensas por falhas nos serviços. A retomada só foi autorizada após apresentarem planos de investimentos que melhorem a qualidade dos serviços e ajudem a reduzir o volume de queixas do consumidor.