11/07/2024

Brasileiros acreditam que são monitorados pela internet, diz pesquisa

Um relatório da Sherlock Communications investigou o comportamento e as percepções de 3.444 usuários de internet em seis países da América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. No Brasil, especificamente, participaram da pesquisa 859 pessoas.

Os resultados mostraram que os brasileiros estão bastante preocupados com a possibilidade de serem monitorados pela internet e por seus dispositivos eletrônicos. Essa preocupação com a privacidade online é agravada pela falta de entendimento abrangente sobre como os dados são utilizados na rede.

Como consequência, muitos brasileiros estão mudando a forma como interagem com computadores e celulares, adotando comportamentos mais cautelosos ao usar a internet e seus dispositivos digitais:

Acreditam que dispositivos eletrônicos estão ouvindo suas conversas

    • 69% das pessoas têm a convicção de que seus dispositivos eletrônicos, como smartphones, tablets e assistentes virtuais, estão captando e escutando as conversas que elas têm no dia a dia.

    Receio de ter seus movimentos rastreados

      • 42% das pessoas estão preocupadas com a possibilidade de seus telefones ou outros dispositivos eletrônicos monitorarem e registrarem seus movimentos, ou seja, rastrearem sua localização e atividades, sem que tenham dado permissão para isso.

      Temor de monitoramento de conversas privadas

        • 41% das pessoas têm medo de que seus dispositivos eletrônicos pessoais, como smartphones e tablets, possam estar monitorando e escutando suas conversas privadas sem o seu consentimento.

        Preocupação com roubo de identidade

          • 46% das pessoas estão preocupadas com a possibilidade de roubo de identidade. Por conta disso, elas tendem a restringir a quantidade de informações pessoais que compartilham online, buscando proteger-se contra possíveis fraudes e usos indevidos de suas informações.

          De acordo com a pesquisa, apenas 5% dos brasileiros não se preocupam com o uso de seus dados pessoais por sites e plataformas. Para evitar problemas, 3% fornecem informações falsas em sites de comércio eletrônico, prevenindo o compartilhamento ou vazamento indevido de dados.

          17% dos brasileiros estão dispostos a compartilhar dados pessoais para melhorar sua experiência online, enquanto 21% evitam fornecê-los mesmo se isso resultar em benefícios como recomendações personalizadas. A maioria (67%) acha difícil encontrar informações sobre proteção de dados nos sites que utilizam, sugerindo que mais clareza poderia aumentar a disposição para compartilhar informações pessoais.

          Já 64% dos internautas consideram as informações sobre proteção de dados confusas. Além disso, 63% dos brasileiros veem a IA como um aumento no risco de fraudes, enquanto 67% acreditam que ela será usada para criar notícias falsas mais convincentes.

          A pesquisa também revelou que muitas pessoas enfrentam problemas com telemarketing:

          • 43% recebem chamadas de números desconhecidos sem resposta quando atendem;
          • 39% recebem mensagens de texto de remetentes desconhecidos com links para clicar.

          Essas experiências influenciam o comportamento online e o uso de dispositivos:

          • 55% não atendem chamadas de números não identificados;
          • 31% mantêm o telefone no modo silencioso para evitar chamadas indesejadas.

          Além disso:

          • 87% evitam clicar em links de e-mails e mensagens não solicitadas;
          • 49% só compartilham dados pessoais se confiarem na segurança e uso responsável pela empresa.
          Se inscrever
          Notificar de
          guest
          0 Comentários
          Feedbacks embutidos
          Ver todos os comentários