06/04/2024

Starlink recebe autorização para operar em hospital e em partes da Faixa de Gaza

Permissão veio após a empresa concordar com uma série de medidas para evitar que o grupo Hamas tenha acesso aos seus serviços.

Nesta quarta-feira (14), a Starlink recebeu autorização do governo isralense para fornecer internet em um hospital de campanhas dos Emirados Árabes Unidos (EAU) e em partes da Faixa de Gaza. A conectividade na unidade de saúde vai possibilitar a realização de consultas por vídeo em tempo real para os pacientes.

A informação foi anunciada pelo Ministério das Relações Exteriores do país árabe, e confirmada pelo fundador Elon Musk na rede social X (antigo Twitter). Afra al-Hameli, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse que “Essa medida ressalta ainda mais os esforços inabaláveis dos Emirados Árabes Unidos para se solidarizar com o povo palestino durante a guerra em curso“.

Shlomo Karhi, ministro das Comunicações de Israel, informou que “As autoridades de segurança israelenses aprovaram a prestação de serviços Starlink no hospital de campanha dos Emirados Árabes Unidos que opera em Rafah”. Ainda disse que “As conexões Starlink de baixa latência e alta velocidade permitirão videoconferências com outros hospitais e diagnósticos remotos em tempo real”.

“As unidades médicas na Faixa de Gaza para apoiar causas humanitárias serão aprovadas individualmente, somente depois de as forças de segurança israelenses confirmarem que se trata de uma entidade autorizada, sem preocupação de risco ou possibilidade de colocar em perigo a segurança nacional”, de acordo com declaração de Shlomo Karhi.

Em postagem no X, Elon Musk apreciou muito a decisão de Israel, dizendo que espera que isso ajude tanto os civis israelenses quanto os palestinos em Gaza.

A permissão para operar com o serviço de internet via satélite veio após a Starlink concordar com uma série de medidas para evitar que o grupo terrorista Hamas tenha acesso aos seus serviços. “É nossa esperança ajudar tanto o povo de Israel quanto, com todo o cuidado devido, civis inocentes em Gaza“, escreveu Musk.

“Em uma situação tão terrível, devemos nos esforçar por atos visíveis de bondade sempre que possível”.

O bilionário já tinha sugerido disponibilizar o serviço da Starlink para grupos de ajuda em Gaza, mas teve represália de autoridades israelenses e recuou. Inclusive, visitou o país em novembro do ano passado com o interesse de ampliar sua relação com Israel.

O conflito na Faixa de Gaza durante a campanha militar de Israel contra o Hamas já vitimou mais de 28 mil pessoas, e deixou 68 mil feridos. A maioria dos hospitais de Gaza foram fechados, sendo que alguns deles foram diretamente atingidos por bombardeios ou ataques.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários