18/04/2024

Inteligência Artificial é destaque em Congresso de Telefonia Móvel

Maior evento internacional sobre telefonia móvel está abordando os impactos da inteligência artificial no setor.

O Congresso Mundial de telefonia móvel (MWC), também conhecido como Mobile World Congress, é um evento de grande importância para o setor das telecomunicações. Ele começou nesta segunda-feira (26) em Barcelona e destaca a Inteligência Artificial (IA) como um dos temas centrais em discussão.

Inteligência Artificial

Com a participação esperada de cerca de 95.000 profissionais ao longo de quatro dias, conforme relatado pela Associação Mundial de Operadores de Telecomunicações (GSMA), que é a entidade responsável pela organização do evento desde 2006 na capital catalã, o congresso é uma plataforma essencial para a troca de conhecimentos, ideias e inovações no campo das telecomunicações.

A presença da Inteligência Artificial como protagonista reflete a crescente importância dessa tecnologia no desenvolvimento e na evolução dos serviços móveis e das comunicações em geral. Espera-se que as discussões e exposições durante o evento abordem não apenas o estado atual da IA na indústria de telecomunicações, mas também suas perspectivas futuras e seu impacto potencial em áreas como redes móveis, experiência do usuário, segurança cibernética e muito mais.

Dessa forma, o MWC se consolida como um ponto de encontro crucial para profissionais, empresas e especialistas interessados em explorar as últimas tendências, lançamentos e estratégias no universo da telefonia móvel, com foco especial na integração e na aplicação da Inteligência Artificial em todos os aspectos dessa indústria em constante evolução.

De acordo com a GSMA, uma entidade que representa quase 750 operadoras e fabricantes do setor de telecomunicações, esta edição do Congresso Mundial de telefonia móvel contará com uma impressionante participação de 2.400 expositores, além de 1.100 palestrantes. Entre os palestrantes destacados estão figuras proeminentes como o presidente da Microsoft, Brad Smith, e o CEO e fundador da Dell, Michael Dell.

A presença dessas empresas e líderes no evento destaca sua relevância global e a diversidade de perspectivas que serão abordadas durante o congresso. Grandes nomes do mundo das telecomunicações, como Samsung, Xiaomi, Huawei, Orange e Vodafone, estarão presentes, juntamente com pesos pesados da tecnologia e da indústria, como Airbus, Google e Accenture.

Essa ampla gama de participantes reflete a natureza abrangente do MWC como uma plataforma onde empresas de diversos setores convergem para discutir e apresentar as últimas inovações, tendências e estratégias relacionadas à telefonia móvel e tecnologias associadas. É uma oportunidade única para networking, colaboração e aprendizado dentro da indústria global de comunicações móveis.

A 18ª edição do congresso, em resposta a um mercado que tem enfrentado uma desaceleração nos últimos anos e uma falta de grandes novidades, concentra-se no desenvolvimento da Inteligência Artificial.

Segundo a agência especializada IDC, embora o mercado tenha registrado uma queda nas vendas de dispositivos ao longo do último ano, o quarto trimestre apresentou um aumento significativo (+8,5%), indicando uma tendência de recuperação. A IA, que está se tornando cada vez mais difundida, é vista como um catalisador importante para a inovação, conforme destacado por Thomas Husson, analista da Forrester. Ele enfatiza que a IA está trilhando o caminho para a democratização e prevê que impulsionará a inovação em diversos setores.

Durante o congresso, vários fabricantes, incluindo a start-up de chips DeepX, a empresa japonesa Fujitsu e a chinesa Honor, planejam apresentar novidades, como uma câmera com IA.

A Inteligência Artificial foi destacada no MWC de 2023, e agora há uma compreensão mais clara de como as operadoras e a indústria de telefonia podem aproveitá-la, segundo Peter Jarich, diretor de inteligência da GSMA.

Além disso, questões como a recomposição do mercado europeu após a fusão da Orange com a MasMovil na Espanha e o financiamento das redes de telecomunicações diante do aumento do tráfego de dados serão discutidas. As operadoras expressam preocupações há anos sobre o ônus dos investimentos em infraestrutura para suportar o consumo de vídeo em plataformas como Netflix, YouTube e TikTok, sem que estas assumam parte dos custos.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários