13/06/2024

Governo Lula prevê gastar milhões de reais com internet em avião

Conectividade será instalada na Airbus A319CJ (VC-1), conhecido como ‘Aerolula’, aeronave usada para deslocamento do presidente.

O Governo Federal deve gastar, nos próximos três anos, até R$ 13,9 milhões com a contratação de um serviço de internet para viagens aéreas nacionais e internacionais na Airbus A319CJ (VC-1), conhecido como “Aerolula”, aeronave usada para deslocamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O serviço de Wi-fi será restrito ao Airbus.

O valor do novo contrato supera o atual que tem valor global anual de R$ 1,9 milhões e prevê a disponibilização de um pacote mensal de 45 gigabytes “com a possibilidade de transferência para o mês seguinte de 50% dos dados não utilizados no mês de referência”, além de direito a cinco pacotes anuais de 25GB para o presidente e sua comitiva.

Na licitação do novo acordo é previsto gastos de R$ 4,6 milhões por ano e R$ 386 mil por mês. No entanto, vale ressaltar que essas despesas estão programadas no orçamento da União para o exercício de 2024.

O pacote de dados previsto na licitação do governo Lula é ilimitado. Segundo o estudo técnico da Presidência da República, a contratação de novo serviço é necessária pela “mudança de perfil de consumo”, causada pelo aumento do número de viagens feitas pelo presidente Lula em relação ao seu antecessor, Jair Bolsonaro (PL). Por isso, o plano atual estaria “próximo de se exaurir antes do fim de sua vigência”.

Diferente do contrato vigente, o novo contrato prevê a disponibilização de um pacote mensal de dados ilimitado e em uma velocidade superior à atual. A Diretoria de Tecnologia da Presidência da República explica que essa escolha é reflexo do aumento de volume de dados utilizado por Lula e seu staff durante as viagens internacionais ao longo do ano de 2023.

Além disso, ainda explicou que houve um pico de utilização de 125 gigabytes ao mês durante o primeiro semestre do ano passado, o que representa um volume quatro vezes maior em relação ao contrato em vigência.

A equipe de tecnologia da Presidência da República cogitou a possibilidade de contratar um serviço de 180 gigas, segundo estudo técnico, mas “haveria o risco de se exaurir a franquia mensal”, por causa do aumento de viagens realizada pelo presidente em comparação ao seu antecessor, Jair Bolsonaro (PL).

“Diante deste cenário, evidencia-se a criticidade do risco de interrupção do serviço de transmissão de dados e voz, impossibilitando o cumprimento das competências legais da Diretoria de Tecnologia, a eficiência e velocidade na tomada de decisão por parte das autoridades usuárias do sistema, podendo comprometer o cumprimento da missão de Estado”.

FonteB News

3 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários