12/04/2024

Anatel planeja fazer novo leilão de espectro para redes móveis em 2025

De acordo com Vinicius Caram, o certame deve incluir ao menos as faixas de 1 gigahertz (GHz), de 1 a 3 GHz, 6 GHz, 10,5 GHz e 4,8 GHz.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende lançar entre o final de 2025 e o início de 2026 um novo leilão de espectro de um grupo de pelo menos quatro redes de serviços móveis. De acordo com o presidente da agência, Carlos Baigorri, a intenção é colocar à venda o máximo de espectro possível.

Durante o Mobile World Congress 2024 (MWC), o executivo disse que está no radar a venda das faixas de 850 MHz, as bandas A e B do celular (850 MHz e 900 MHz), que ainda estão sub judice no Tribunal de Contas da União. No entanto, a Anatel reforça a tomada de subsídios lançada pela agência para ouvir do mercado quais seriam as frequências que deveriam ser colocadas à venda neste certame.

O prazo de envio das contribuições está aberto, e vai até o próximo dia 25 de março. “Nós temos a pretensão de antecipar. Temos uma tomada de subsídio em aberto. Uma de nossas metas é fazer o leilão já em 2025”, afirmou Vinicius Caram, superintendente da Anatel.

Está em discussão para ser colocado à venda no novo leilão as “sobras” de 700 megahertz (MHz), que foi devolvida ao órgão regulador após desistência da Winity, assim como a faixa de 6 GHz que foi destinada para redes Wi-Fi. No entanto, Baigorri afirmou que a Anatel pode mudar de posição após fazer um estudo aprofundado sobre esse mercado.

Ele explicou que se for constatado que os equipamentos do WiFi não estão prontos para serem comercializados no país, e se não houver um ecossistema integrado para o efetivo uso desse espectro pelo serviço fixo, uma parte dessa banda será vendida para a telefonia celular.

“A gente pode mudar de ideia e, verificar, depois da tomada de subsídio, que vale a pena migrar para o 5G”, completou. Ele disse ainda que poderão ser colocados à venda também as faixas de 4,9 GHz e 10,5 GHz além das sobras das frequências de 1,9 GHz e 2,5 GHz.

Novas tecnologias vão surgir a partir da evolução do padrão da quinta geração (5G). Inclusive, já está em testes o chamado “5.5G” ou “5G Advanced”, além do 6G, com sua concepção definida pela indústria.

De acordo com Caram, o certame deve incluir ao menos as seguintes faixas: 1 gigahertz (GHz), de 1 a 3 GHz, 6 GHz, 10,5 GHz e 4,8 GHz. Ele explicou que ainda não há ideia de quanto vai custar essas frequências. “A gente não sabe ainda. A gente não fez o cálculo do valor do espectro. A gente está fazendo essa tomada de subsídio justamente para isso, para saber como o setor quer organizar o uso do espectro”, disse.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários