22/02/2024

CEO da Oi fala sobre futuro da tele durante evento da Huawei

Latam Fiber Broadband Leaders Summit contou também com a presença de representantes da Claro, Fibrasil, Oi e I-Systems.

Nesta segunda-feira (02), em São Paulo, ocorreu a Latam Fiber Broadband Leaders Summit, realizada pela Huawei América Latina, em São Paulo. Dentre os presentes no evento estavam representantes da Claro, Fibrasil, Oi e I-Systems. No caso da Oi, o CEO Rodrigo de Abreu falou sobre o futuro da operadora, enquanto que as outras falaram sobre o mercado de rede neutra no país.

Durante sua palestra, Rodrigo Abreu contou que o futuro da operadora é ser uma provedora de soluções baseadas em conectividade, além de focar no fornecimento de serviços para aprimorar a experiência de banda larga dos clientes, que é o carro-chefe da empresa que atualmente se encontra em seu segundo processo de recuperação judicial.

Para ele, é uma forma de escapar da “dualidade entre preço e velocidade” da internet, uma das maneiras que outras operadoras e provedores usam para aumentar a base de clientes. “Ainda estamos promovendo essa dualidade, mas essa fase já passou. Se continuarmos nessa, não vamos chegar a lugar nenhum”, afirmou Abreu.

O executivo explicou que nos últimos anos, a Oi separou a unidade de fibra óptica (atualmente chamada V.tal) dos serviços direcionados aos clientes de banda larga fixa (Nova Oi). Com isso, a operadora pode se dedicar cada vez mais em soluções para aperfeiçoar a experiência do assinante. Por exemplo, recentemente, lançou plano de banda larga contemplando rede WiFi mesh, atendimento técnico especializado e fibra até o quarto (FTTR).

“Apesar de todo mundo vender velocidade e [trabalhar] com preço, o que o cliente mais quer é cobertura WiFi. Estamos combinando produto, qualidade e atendimento – e investindo em outras áreas para nos diferenciar”, pontuou.

Segundo Abreu, os próximos passos da Oi é concluir o plano de reestruturação, acelerar a implementação de pacotes mais abrangentes de serviços de banda larga e intensificar as atividades da Oi Soluções, braço B2B da companhia.

Rede Neutra no Brasil

Para Marco Estefan, CCO da I-Systems, as redes neutras vão atuar como facilitadora do setor de telecom. “Uma infra usada por muitos traz mais ganho de escala, o que vai trazer melhor preço para o serviço e, ao final, para o consumidor da banda larga. A melhor maneira de rentabilizar é compartilhar“.

Já para o CTIO da Fibrasil, Átila Branco, a expansão do serviço de banda larga fixa esbarra nas questões dos postes. “Há muita gente ilegal, há muitas irregularidades e isso dificulta muito a operação“, observou o executivo.

Durante sua apresentação, Márcio Carvalho, diretor de Marketing da Claro, explicou que embora a Claro não tenha entrado na disputa pelas redes neutras no Brasil, a operadora está usando infraestrutura alternativa para avançar com a cobertura de banda larga fixa em cidades em que não possui infraestrutura própria.

“Temos um piloto com a V.tal desde março e seguimos com eles. E queremos ter outros contratos com as redes neutras existentes para chegar onde não estamos”, afirmou o diretor.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários