06/04/2024

MCom cria GT para implementar Rede Móvel Privativa para Administração Pública

Essa Rede Móvel para administração pública que será implementada pelo MCom será financiada pelo leilão do 5G.

Nesta terça-feira, dia 29, o Ministério das Comunicações (MCom) estabeleceu a formação de um Grupo de Trabalho. Esse grupo conta com a participação de diversos órgãos governamentais e tem como objetivo discutir e planejar a implementação da Rede Móvel Privativa da Administração Pública. Durante a primeira reunião desse grupo, foram abordados os detalhes iniciais da instauração dessa rede, a qual terá seu lançamento inicial no Distrito Federal. Posteriormente, o plano é expandir esse projeto para cobrir todo o território brasileiro.

MCom

Um ponto importante a ser mencionado é que com o Leilão do 5G, um montante de R$ 1 bilhão foi destinado para financiar a construção da infraestrutura necessária para essa rede privativa. O objetivo é equipar o Estado com a mais moderna tecnologia em termos de Rede de Missão Crítica. Inicialmente, o Distrito Federal será utilizado como um ambiente de testes e aprendizado para a rede móvel, funcionando como um projeto piloto. Caso os resultados se mostrem positivos nesse contexto, o plano é estender essa rede móvel para atender todo o Brasil. Essa iniciativa foi enfatizada pelo secretário de Telecomunicações do MCom, Maximiliano Martinhão.

“Com o Leilão do 5G, foi previsto R$ 1 bilhão para custear a construção da infraestrutura da rede privativa. Queremos dotar o Estado com o que há de mais moderno em termos de Rede de Missão Crítica. O Distrito Federal será o nosso laboratório para a rede móvel, será nosso projeto piloto. Sendo bem-sucedidos, queremos expandir essa rede móvel para todo o Brasil”.

A Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal é um sistema de comunicação exclusivo destinado aos órgãos governamentais do Brasil. Sua criação está estipulada tanto no Edital do 5G quanto no decreto de Políticas Públicas de Telecomunicações. Essa rede é formada por diferentes partes interconectadas, incluindo segmentos de comunicação móvel e fixa, bem como a utilização de satélites para comunicação e medidas de segurança criptográfica.

A parte de comunicação fixa da rede será estabelecida através de cabos de fibra óptica e será protegida por criptografia de ponta a ponta, garantindo a segurança das informações transmitidas. Ela estará presente em todas as capitais do Brasil e terá a função de servir aos órgãos públicos federais, fortalecendo as infraestruturas de comunicação já existentes. A rede fixa terá um total de 6.500 pontos de acesso, facilitando a interconexão e a troca de dados entre as diferentes partes do governo.

Por outro lado, a parte móvel da rede será igualmente protegida por criptografia de ponta a ponta e terá como foco principal o atendimento aos Órgãos de Segurança, Forças Armadas, Defesa Civil e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Além das funções tradicionais de chamadas de voz e acesso à internet móvel, essa rede móvel oferecerá uma variedade de recursos avançados. Isso inclui a possibilidade de rastreamento de localização em tempo real, o uso de câmeras para monitoramento, criação de cercas virtuais baseadas em geolocalização, gerenciamento de frotas de veículos, entre outras capacidades. Além disso, essa rede permitirá a funcionalidade de roaming, possibilitando a continuidade dos serviços mesmo quando os dispositivos estiverem fora da área de cobertura principal.

No geral, a Rede Privativa de Comunicação da Administração Pública Federal representa uma infraestrutura avançada e altamente segura que visa aprimorar a comunicação e as operações dos órgãos governamentais no Brasil, fornecendo soluções de comunicação confiáveis e eficazes para uma variedade de cenários e necessidades.

O Grupo de Trabalho é composto por representantes de diversas entidades, incluindo o MCom, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Entidade Administradora da Faixa de 3,5 GHz (EAF), a Telebras, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e o Exército Brasileiro.

ViaMCom
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários