24/02/2024

Fusões e aquisições nas telecomunicações caem 41% em 2023

Setor de Telecomunicações, aliado ao setor de tecnologia e mídias, teve um primeiro semestre de queda no quesito negócios empresariais.

Um estudo realizado pela KPMG trouxe à luz informações sobre as atividades empresariais no setor de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações (TMT) durante o primeiro semestre de 2023. Nesse período, ocorreram 368 fusões e aquisições entre empresas do setor no Brasil.

Telecom

No entanto, essa quantidade representou uma redução significativa de 41% em relação ao mesmo período de 2022, no qual foram registradas 629 transações semelhantes.

Embora tenha havido uma diminuição geral no número de fusões e aquisições, é importante observar que os diferentes subsegmentos do setor apresentaram variações distintas em suas atividades. As operações envolvendo empresas de Telecomunicações e Mídia sofreram uma diminuição menos acentuada, passando de 34 no primeiro semestre de 2022 para 33 no mesmo período de 2023.

Dentro da cadeia abrangida pelo setor TMT, também é possível identificar outros segmentos, como Tecnologia da Informação. Nesse subsegmento, ocorreram 169 operações no primeiro semestre de 2023, em comparação com 180 no mesmo período do ano anterior.

Já o segmento de Empresas de Internet enfrentou a maior queda, com apenas 157 transações ocorrendo no primeiro semestre de 2023, em contraste com as 410 registradas no ano anterior. Por outro lado, o subsegmento de Publicidade e Editoras apresentou um aumento, passando de 5 operações no primeiro semestre de 2022 para 9 no mesmo período de 2023.

A pesquisa completa abarca um amplo espectro de 43 setores que compõem a economia brasileira. Os resultados desta pesquisa revelam que o número de transações ocorridas em um desses setores corresponde a aproximadamente 50% do total de 737 transações realizadas em todo o país durante o período analisado.

De acordo com Márcio Kanamaru, que desempenha a função de sócio-líder na área de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações na KPMG no Brasil, é notável que as empresas voltadas para publicidade e as editoras apresentaram um crescimento expressivo no número de transações durante o período analisado, quase dobrando suas atividades nesse sentido. Isso destaca as tendências de mercado e a dinâmica dentro desses segmentos específicos da economia.

“É interessante observar a relevância dessas empresas, considerando que elas atingiram metade do total de operações realizadas no País. A queda mais significativa foi em empresas de Internet, porém os segmentos de Tecnologia da Informação, telecomunicações e mídia permaneceram relativamente estáveis na comparação. As organizações de publicidade e as editoras quase dobraram o número dessas transações”.

No decorrer do segundo trimestre, um total de 365 operações de fusões e aquisições foram realizadas em âmbito nacional. Quando somamos esse número às 372 transações ocorridas nos primeiros três meses do ano, chegamos a um total de 737 negócios concretizados no primeiro semestre do ano.

Ao analisar os dados dessas operações durante o trimestre, é possível notar que o cenário de fusões e aquisições manteve-se praticamente inalterado em relação aos últimos quatro trimestres anteriores. Isso sugere que a quantidade de transações tem se mantido constante, com uma estimativa de atingir cerca de 1.500 transações até o final do ano.

Luís Motta, um dos sócios da KPMG, uma empresa de consultoria e auditoria, analisa que, embora haja uma diminuição nas cifras em relação ao semestre anterior, a tendência geral é de melhora.

“Pelos números do trimestre, o cenário de fusões e aquisições está estável, no mesmo patamar dos últimos quatros trimestres, apontando para cerca de 1.500 transações no final do ano. Embora os números apresentem uma queda com relação ao semestre anterior, o cenário está com melhores perspectivas do que no início deste ano”, diz o sócio da KPMG.

Além do setor de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações (TMT), o setor de instituições financeiras também teve uma participação significativa no cenário de fusões e aquisições, com um total de 31 operações. Em seguida, destacaram-se os segmentos de hospitais e laboratórios de diagnóstico com 20 transações, companhias de serviços com 18, empresas de seguros com 14, supermercados com 6 e produtos de engenharia com 5 operações. Isso demonstra a diversidade de setores que estão contribuindo para a dinâmica desse cenário econômico.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários