26/02/2024

ViaSat-3: falha pode inutilizar maior satélite de internet do mundo

Entenda o que aconteceu com o satélite e quais as possíveis soluções para ‘salvar’ o funcionamento do equipamento.

Em abril, foi enviado ao espaço o maior satélite de internet do mundo, o ViaSat-3 Américas, em um investimento estimado em US$ 700 milhões. Entretanto, o dispositivo pode nem chegar a entrar em operação, pois apresentou uma falha que inviabiliza o desdobramento da antena que reflete os sinais para a terra.

Segundo a ViaSat, o satélite passou por um “evento inesperado” que pode “impactar materialmente a performance do satélite”. “Estamos desapontados com os acontecimentos recentes”, diz Mark Dankberg, presidente e CEO da ViaSat, em comunicado.

Dankberg afirmou que está trabalhando com a fabricante da antena, a Astro Aerospace, da Northrop Grumman, para determinar o tamanho do problema e se há como corrigí-lo. Por enquanto, ainda não há muitas incertezas com o artefato, que teve um lançamento conturbado, e com diversos adiamentos.

Agora, entre as possíveis resoluções que podem vir a ser tomadas sobre o ViaSat-3 estão: se vier a ser reparável, o satélite pode conseguir funcionar, mas com capacidade reduzida, com a possibilidade de direcionar outros satélites de sua frota para que o dispositivo possa dar conta de mais área de cobertura.

No pior cenário, o satélite seria inutilizado, sendo necessário um novo lançamento para cobrir o continente americano, que é o principal mercado da Via Sat. Emea seria o escolhido, que é um equipamento idêntico ao ViaSat-3, com previsão de ser lançado em setembro para cobrir Europa, Oriente Médio e África.

Independente da situação, a empresa garante que isso impacta os clientes atuais. Entretanto, essas incertezas fizeram as ações da ViaSat caírem em 30% na semana passada.

Descoberta da falha no ViaSat-3

Diferente da Starlink, que usa pequeno satélite em órbita baixa, a ViaSat planeja utilizar apenas três grandes artefatos, em grandes altitudes (órbita geoestacionária), para cobrir todo o globo, e consequentemente, é um investimento muito mais caro. Por isso, dará um prejuízo quase bilionário à empresa.

A falha foi descoberta por astrônomos amadores, que perceberam sinais intermitentes do satélite – que estaria se mexendo como se estivesse “dançando” em órbita. Eles acreditam que os controladores estejam enviando comandos para tentar liberar a antena na marra, com estas mudanças de orientação.

Se a falha na peça for constatada e dê perda total do ViaSat-3, o seguro deverá ser acionado, cobrindo até US$ 420 milhões, mas a empresa ainda terá que arcar com o resto do prejuízo.

FonteUOL
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários