23/05/2024

Eletronuclear leva internet para aldeias e quilombos em municípios na Costa Verde

Projeto faz parte do programa socioambiental da empresa, responsável pela gestão e construção das usinas nucleares no Brasil.

Seis aldeias indígenas e três quilombos nos municípios de Angra dos Reis, Paraty e Rio Claro, na Costa Verde fluminense, agora já contam com acesso à internet, depois que a Eletronuclear concluiu a instalação das estruturas nessas localidades. No total, 578 famílias foram contempladas pela iniciativa nas nove comunidades.

O projeto é parte do programa socioambiental da empresa, responsável pela gestão e construção das usinas nucleares no Brasil, e atende condicionante estabelecida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a licença de operação da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis.

O presidente da estatal, Eduardo Grand Court, disse à Agência Brasil, a importância da instalação de internet para a própria inserção das comunidades no mundo. São localidades que precisam de conectividade.

“Nós identificamos essa questão, foi uma iniciativa nossa, e que também acabou passando pelo Ministério Público Federal quando de uma audiência, que está em discussão, pelo não cumprimento de condicionantes ambientais. Nós colocamos que estamos trabalhando e conseguimos realizar com sucesso, apesar das dificuldades, a instalação de internet nessas aldeias indígenas e quilombos”.

Inclusive, Court destaca que em uma aldeia, em Mamangá, em Paraty, não tinha nem sequer energia. Para fornecer internet na área, a empresa conseguiu com o fornecedor a instalação de placa solar e baterias.

Os trabalhos do projeto foram iniciados em 19 de junho nas aldeias Karai-Oka, Itaxi-Mirim, Itaxi Kanaa Pataxó e no quilombo Campinho da Independência, em Paraty. No dia seguinte, levaram internet para aldeia Rio Pequeno, na mesma cidade, e no quilombo Santa Rita do Bracuí, em Angra dos Reis. No dia 22. foi a vez da aldeia Sapukai, localizada na Terra Indígena Guarani do Bracuí, também em Angra dos Reis. No começo de julho, o serviço chegou à aldeia Arandu-Mirim, em Paraty, e ao quilombo Alto da Serra do Mar, em Rio Claro.

De acordo com Grand Court, os moradores das nove comunidades contam com internet ilimitada, que terá manutenção de cinco anos. Após esse período, a iniciativa será renovada visando suprir uma lacuna do Poder Público.

A necessidade de conectar as aldeias e quilombos veio quando seus representantes não puderam comparecer a uma audiência, e também tiveram como participar por videoconferência.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários