21/05/2024

Abrintel projeta investimento bilionário no 5G; R$ 1 bilhão já foi aplicado

“Temos mais R$ 5 bilhões na mesa que devem ser contratados até o final do ciclo do 5G”, diz Luciano Stutz, presidente da entidade.

De acordo com a Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel), até o momento, já foram investidos cerca de R$ 1 bilhão no 5G, de uma projeção de R$ 6 bilhões em investimento na rede. “Temos mais R$ 5 bilhões na mesa que devem ser contratados até o final do ciclo do 5G”, afirma Luciano Stutz, presidente da entidade.

De acordo com o executivo, o ciclo de implementação do 5G deve ir, no máximo, até 2026 ou 2027, uma vez que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vem trabalhando de forma acelerada para liberar o sinal nas cidades, além de que as operadoras estão indo além das obrigações exigidas no leilão.

“Tudo indica que esse ciclo será encurtado a partir de 2028, e esperamos que os demais investimentos sejam aplicados por meio de ordens de serviço das operadoras”.

Atualmente, o Brasil possui 13.137 antenas 5G conectadas a cerca de 70.000 torres em 288 municípios, segundo dados mais recentes da Anatel. Na liderança, a TIM ativou 5.806 antenas, seguida da Claro (3.858), Telefônica Brasil (3.263), Brisanet (164) e Algar Telecom (46).

Em conversa com a BNAmericas, Luciano Stutz, destaca que há um forte crescimento no compartilhamento de infraestrutura e construção de soluções no nível da rua (SLS) – torres de celular menores que as torres macro. Por exemplo, a QMC Telecom, dos principais players de SLS, já instalou mais de 1 mil desses equipamentos no Brasil.

Stutz traz a pauta a conectividade também nas rodovias. “Há muita coisa para acontecer. Existem cidades mais afastadas, no interior, e novas antenas chegando. Há também as estradas, embora não seja um associado da Abrintel o responsável por essa conectividade nas rodovias”.

De acordo com o leilão, essa cobertura cabe a Winity Telecom, que arrematou o espectro na faixa de 700 MHz, e deve levar conectividade em quase 36.000 km de rodovias federais. Conforme o cronograma, a empresa tem até 2029 para concluir a meta, sendo que até dezembro deste ano, pelo menos 10% das rodovias devem ter cobertura de internet móvel.

Entretanto, a implementação do 5G enfrenta outros obstáculos importantes para que esteja disponível para todos os brasileiros. Se trata da questão regulatória da infraestrutura de telecomunicações, referente à Lei das Antenas que os municípios precisam atualizar.

Para que a infraestrutura do 5G seja instalada nas cidades, as prefeituras precisam adequar suas legislações, uma vez que algumas são consideradas pelo setor como muito restritivas para a instalação de torres e antenas.

“A instalação do 5G hoje no Brasil foi feita principalmente por meio de torres e estruturas 4G existentes. A indústria não conseguirá densificar adequadamente o 5G se não puder contar com a construção em telhados e com novos tipos de estruturas”, segundo o executivo.

A Abrintel é formada por quatro empresas que correspondem por cerca de 70% do mercado doméstico de torres: American Tower, SBA Communications, IHS Towers e QMC Telecom.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários