21/04/2024

Elon Musk não descarta possível falência do Twitter; entenda

De acordo com fontes internacionais, o empresário afirmou em comunicado aos funcionários que 'Falência não está fora de questão'.

o empresário Elon Musk finalmente conseguiu comprar o Twitter. No entanto, pelo andar da carruagem, talvez o negócio não tenha sido tão proveitoso para o bilionário, uma vez que ele cogita possível falência depois de ter tentado aplicar novas configurações a rede social, como cobrar pelo verificado nas contas.

Em comunicado enviado aos funcionários nesta quinta-feira (10), o dono da SpaceX e Tesla, não deu boas notícias para os profissionais que trabalham na plataforma. Segundo as informações, ele deixou a entender de que o Twitter pode ir à falência. “Falência não está fora de questão“, disse em encontro na sede da companhia, segundo fontes ouvidas por veículos internacionais.

A possibilidade do Twitter ir a falência citada por Elon Musk se refere às perdas de dinheiro que a plataforma passou a enfrentar após o seu comando. Mesmo o Twitter não sendo uma das redes sociais mais lucrativas do mercado, o cenário pode piorar, pois anunciantes decidiram parar os gastos com anúncios depois que o bilionário assumiu a rede. Muitos temem que ocorra uma redução na moderação de conteúdo.

Nos Estados Unidos, várias marcas já se pronunciaram afirmando que deixarão de anunciar o Twitter, inclusive empresas do ramo de saúde, como a Pfizer. Entre essas companhias que também já se pronunciaram estão GM, Audi e Volkswagen do setor automobilístico. Vale ressaltar que essas marcas são concorrentes diretos da Tesla, montadora de veículos elétricos de Elon Musk.

No comunicado, o bilionário ainda falou sobre a possibilidade do fluxo de caixa ser negativo no próximo ano. “Twitter poderia ter um fluxo de caixa negativo em vários bilhões de dólares“. Por causa disso, ele apontou no sistema de assinatura Twitter Blue, onde o usuário passaria a ter um selo de verificação por meio do pagamento de uma mensalidade, que seria de US$ 8 nos EUA, cerca de R$ 43 no câmbio atual.

Nessa modalidade de assinatura, os usuários teriam benefícios na rede social, como ver menos propaganda, poder postar vídeo de maior tamanho e até aparecer com destaque. “A razão por que vamos investir em assinantes é manter o Twitter vivo“, disse Elon Musk no encontro com os funcionários.

Entretanto, a ideia do novo sistema, que foi lançado na última quarta-feira (09), não deu muito certo e foi desativado temporariamente, pois muitos usuários estavam criando “perfis oficiais” e se passando por empresas e personalidades famosas.

ViaUOL
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários