16/04/2024

Máscaras descartáveis viraram cabo de internet no Reino Unido

Pesquisas feitas em universidade mostraram como as máscaras descartáveis podem se transformar em bons cabos de internet.

As máscaras descartáveis podem virar matéria para cabos de internet banda larga. Essa descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade de Swansea, no Reino Unido. Eles conseguiram fazer uma nova técnica que reaproveita máscaras descartáveis em cabos Ethernet, ao invés delas serem descartadas em nanotubos de carbono. 

Máscaras Descartáveis

Os cientistas descobriram através de pesquisas que máscara pode ser usada para transmitir dados de alta velocidade e fazer baterias mais leves e eficientes que são usadas em drones e carros elétricos. E as máscaras são usadas já quando estão postas nos nanotubos.

Máscaras descartáveis são reaproveitadas e o ambiente agradece

Segundo um dos autores do estudo, Alvin Orbaek White, as máscaras criam muitos resíduos plásticos no ambiente e vão parar, principalmente nos oceanos. Isso não é interessante. E essa solução de reaproveitamento é muito interessante. 

“As máscaras faciais de uso único criam grandes quantidades de resíduos plásticos que acabam terminando em nossos oceanos. Nesse estudo, estabelecemos que o carbono dentro de uma máscara pode ser usado como uma boa matéria-prima para fabricar materiais de alta qualidade”, afirmou. 

Os nanotubos têm especificações  peculiares e são mais caros quando são produzidos em escala industrial. O reaproveitamento de materiais que seriam descartados seria muito mais econômico nessa produção. 

Outro ponto positivo que os pesquisadores destacam é que eles podem usar a “química verde”. Assim eles separam o carbono de outros produtos que estão na máscara descartável. E dessa forma conseguem gerar menos resíduos do que da forma que acontece hoje. 

A utilização das máscaras em cabos de internet

Os cabos de Ethernet que foram feitos com os nanotubos conseguiram fazer transmissões consideráveis, com largura de banda de até 10 Mb/s, a uma distância de até 100 m e frequência de 100 MHz.

“Os nanotubos de carbono se tornaram um tópico de pesquisa crescente e um material industrial há quase 30 anos, com muitas aplicações já realizadas nas áreas de energia, transporte, manufatura e construção. Agora, nós provamos que eles também podem ser reaproveitados para dar um destino mais sustentável ao lixo gerado pelas máscaras faciais”, disse o pesquisador. 

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários