Vivo realiza emissão de R$ 3,5 bi em debêntures para metas sustentáveis e sociais

Os investimentos são destinados aos programas de sustentabilidade e inclusão promovidos pela Vivo no Brasil.

A Telefónica Brasil, empresa matriz da Vivo, anunciou na última sexta-feira (1º), a emissão de R$ 3,5 bilhões em debêntures com o intuito de cumprir as metas sustentáveis e sociais que devem ser cumpridas pela empresa até 2027, ano em que a companhia pretende alcançar a redução de 40% das emissões diretas de gases de efeito estufa se comparado com os números registrados em 2021.

Vivo expande serviço de fibra para dez novas cidades

Além de priorizar investimentos no meio-ambiente, a Telefónica também propôs propõe atingir um indicador maior ou igual a 30% de negros em cargos de liderança nos próximos cinco anos, iniciativa que faz parte dos esforços da tele para aumentar a inclusão em seu quadro de funcionários através de incentivos internos.

A comunidade LGBTQIA+ também será beneficiada com os aportes da empresa, especialmente através do “Programa Vivo Diversidade”, que estimula a contratação e aprimoramento profissional de minorias no país.

Segundo informações, os recursos serão utilizados integralmente para “reforço de caixa, atendendo aos negócios de gestão ordinária da empresa”. Esses tópicos englobam o Plano de Negócio Responsável da Vivo (PNR), que contribui para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável/Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

As metas que assumimos em nossa primeira emissão, vinculada a desafios ESG, dialogam com nossas ações internas voltadas à promoção da diversidade e atuação pela economia de baixo carbono. Isso demonstra o quanto a sustentabilidade permeia nossa estratégia de negócios, trajetória e visão de longo prazo”, afirma o CEO da Vivo, Christian Gebara.

Números positivos da Vivo

Além das métricas estimadas para os próximos anos, a Vivo revelou seus números positivos na contribuição para o desenvolvimento de um “futuro verde” mirando na redução dos gases que contribuem para o efeito estufa e, consequentemente, aquecimento global.

De acordo com os dados divulgados à imprensa, em 2021, a Vivo emitiu 63 mil toneladas de CO2, uma redução de 19% em suas emissões diretas em relação a 2020, destacando os esforços em adotar práticas ecologicamente corretas.

Baseado nesses números, estima-se que em 2027 a Vivo emita na atmosfera o equivalente a 37,8 mil toneladas de gás carbônico, correspondendo a uma diminuição de 40% se contraposto com o relatório do ano passado.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x