01/07/2022

Sustentabilidade: Vivo transforma uniformes descartados em ecobags

A ecobag da operadora utiliza como matéria-prima tecido de uniformes que seriam descartados pela empresa e tem preço acessível.

A Vivo, operadora brasileira de telecomunicações, anunciou nesta quinta-feira (23), um novo programa de sustentabilidade que utiliza o tecido de uniformes que seriam descartados como matéria-prima para a confecção de ecobags, sacolas ecológicas que não utilizam em sua composição materiais plásticos ou que agridem o meio ambiente.

vivo-cria-rede-5g-une-servico-movel-fixo

De acordo com a companhia, a iniciativa ecologicamente correta foi desenvolvida em parceria Retalhar, empresa B e promove a economia circular dos produtos têxteis com mão de obra inclusiva, reaproveitando o tecido que seria jogado no lixo.

Inicialmente, apenas 1,8 mil unidades das ecobags foram produzidas e serão comercializadas pela Vivo, no entanto, é esperado que o estoque seja renovado nas etapas posteriores caso haja demanda.

A bolsa sustentável pode ser adquirida a preço de custo no site da tele pelo preço simbólico de R$ 39 à vista com possibilidade de parcelamento em até 12 vezes de R$ 3,25 sem juros no cartão de crédito. Também é possível encontrar o produto na loja LEED, localizada no Shopping VillaLobos, na cidade de São Paulo.

As ecobags, ainda trazem impacto social positivo tanto no beneficiamento dos resíduos quanto na produção das sacolas. No processo é empregada mão de obra de egressos do sistema prisional e mulheres costureiras localizadas na periferia da Grande São Paulo, gerando renda e inclusão social.”, destaca a Vivo.

Especificações da ecobag:

  • Dimensões: 38 x 29,5 cm
  • Material: Brim preto (tecido único sem forro)
  • Estampa: Serigrafia (Dimensões: 30 x 24,5 cm)
  • Acabamento interno: Viés preto
  • Espessura da alça: 3 cm poliéster
  • Comprimento da alça: 60 cm
  • Cor: Púrpura

Foco no “futuro verde”

O recente lançamento das ecobags engloba um enorme ecossistema de projetos sustentáveis realizados pela Vivo no país.

Além de reaproveitar materiais desprezados, a tele também tem planos de recolher 10 toneladas de lixo eletrônico através do programa “Recicle com a Vivo“, que estreou em 2006 e de lá para cá coletou mais de 1 milhão de celulares em desuso e 5 milhões de outros itens.

Lucas Ribeiro
Lucas Ribeiro
Jornalista há quatro anos, trabalho com revisão de textos e elaboração de pautas sobre telefonia móvel/telecomunicações no geral. Como lema, compartilho a ideia de Álvaro Borba, que diz: “Não importa o que eu acho, importa o que eu sei, e o que sei são os fatos”.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x