Entidades do setor de telemarketing repudiam decisão da Senacon

Federações acreditam que a suspensão das atividades de 180 empresas do segmento pode provocar o aumento de desemprego; entenda o caso.

Nesta segunda-feira (18), por meio de nota, a Fitratelp e Fittel, entidades que representam os trabalhadores do setor de telecomunicações e telemarketing, se manifestaram contra a decisão do Ministério da Justiça e da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) que suspendeu 180 empresas por prática de telemarketing abusivo. Sindicatos filiados também apresentaram desagrado com a medida.

De acordo com as federações, a decisão pode provocar mais desemprego no setor, especialmente entre os jovens, que são os mais favorecidos pelo segmento, uma vez que é a porta de entrada no mercado de trabalho de muitos deles.

“[…] A Fitratelp, a Fittel e Sindicatos filiados repudiam com veemência essa decisão do Ministério da Justiça, por saber que o telemarketing abusivo, geralmente, é praticado por robôs e deve ser combatido, mas os empregos diretos dos trabalhadores devem ser preservados, humanizados e valorizados”, afirmaram as entidades na nota.

Além disso, também defenderam que seja combatido nas empresas a imposição de meta consideradas abusivas pelas entidades sindicais, o que resulta na insistência e invasividade dos trabalhadores que busca alcançar resultados inatingíveis, com a desculpa de que se trata de metas de desempenho e a pretexto de manter seus empregos.

As entidades ainda afirmam que tal decisão expõe o governo liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, mostrando que não há uma procura pelo diálogo com as partes, que envolve empresas e trabalhadores, antes de tomar decisões. Decisões essas que, segundo entendimento das entidades, causará prejuízos aos trabalhadores, assim como aos usuários e consumidores.

Sobre a decisão

A Senacon, entidade que integra o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), suspendeu desde ontem as atividades de 180 empresas de telemarketing ativo, sendo que algumas são ligadas às operadoras de telefonia móvel, como TIM, Vivo e Claro.

Entre as essas empresas também estão bancos brasileiros, como Itaú, Banco do Brasil e Bradesco. Todas elas foram suspensas por ações de telemarketing abusivo, onde os consumidores são diariamente perturbados com os disparos de ligações realizadas por robôs, as chamadas Robocalls, em números de telefone vinculados ao seu Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x