Facebook é acusado de contratar empresa para difamar o TikTok

De acordo com o jornal The Washington Post, a Meta contratou a consultoria Target Victory para espalhar falsas histórias sobre a rede social.

A Meta, dona do Facebook, está sendo acusada de pagar uma empresa para difamar o TikTok em uma campanha nacional nos Estados Unidos. De acordo com o jornal The Washington Post, a empresa contratou a consultoria Target Victory para conduzir os trabalhos de difamação para prejudicar a rede social concorrente.

O trabalho da empresa seria inserir artigos de opinião e cartas enviadas aos editores dos principais meios de comunicação norte-americano com supostas histórias que colocavam a reputação do Tik Tok em cheque. O objetivo era atrair políticos locais e repórteres para colocar pressão na concorrente e desestabilizar a audiência crescente da rede.

Na matéria do jornal são expostos alguns e-mails internos de diretor da Targeted Victory, onde me um deles teria dito ser necessário passada a seguinte mensagem: “embora a Meta seja o saco de pancadas atual, o TikTok é a ameaça real, especialmente como um aplicativo de propriedade estrangeira que é o número 1 em compartilhamento dados dos jovens adolescentes“. Uma referência ao fato da ByteDance, criadora do TikTok, ser uma empresa chinesa, país rival dos EUA.

O trabalho da consultoria seria contratar repórteres políticos para serem dominadores de mensagens anti-TikTok, tendo como base história fabricadas para a mídia local, colocando a rival com imagem negativa no mercado. Uma dessas histórias seria um desafio promovido pela rede de vídeos curtos para alunos agredirem fisicamente seus professores (Slap you Teacher, em inglês), o que, até então, não se tem notícia de ser real.

Em entrevista ao jornal norte-americano, o porta-voz da Meta, Andy Stone, defendeu a campanha. “Acreditamos que todas as plataformas, incluindo o TikTok, devem enfrentar um nível de escrutínio consistente com seu crescente sucesso”, explicou.

Segundo relato do jornal, essa é uma prática muito comum na política, mas na indústria de tecnologia é uma novidade. A forte presença e influência das empresas no âmbito social-cultural mundial provoca brigas que vão além da simples disputa com recursos, ferramentas e audiências.

Enquanto o Instagram se mantém como a rede social mais ativa do mundo, o Facebook tem tido um declínio nos últimos anos. Já o TikTok tem marcado cada vez mais presença no mercado e experimentado crescimento exponencial desde 2019.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore. E-mail para contato: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x