InícioDefesa do ConsumidorVivo terá que indenizar cliente por famoso golpe no WhatsApp

Vivo terá que indenizar cliente por famoso golpe no WhatsApp

Tribunal de Justiça aproveitou para fazer um alerta público sobre o aumento de crimes do tipo.

Vivo terá que indenizar cliente por famoso golpe no WhatsApp

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) acaba de condenar a operadora Vivo a indenizar uma cliente que foi vítima de clonagem de linha e subsequente uso dela para aplicar um golpe conhecido no WhatsApp: o de pedir dinheiro para amigos e familiares que estão na lista de contatos. O Facebook também foi réu no caso.

Na ação, a consumidora culpa a operadora pela falha no sistema que permitiu que terceiros tivessem acesso à linha dela. Uma das que caíram no golpe foi a irmã da cliente, que acabou fazendo uma transferência bancária de R$ 3.344 para uma conta do fraudador.

No entendimento da juíza Luciana Antoni Pagano, a Vivo falhou na prestação do serviço. Diante do aumento de casos do tipo, ela cobrou das empresas providências para evitar esse tipo de crime.

“Merece acolhida a versão apresentada na inicial, corroborada pelos documentos acostados aos autos. Também merece ser acolhido o pedido de indenização por danos morais, tendo em vista que ser vítima de fraude (cometida por terceiro que se passou por sua pessoa no WhatsApp e solicitou dinheiro para sua lista de contatos) nitidamente configura muito mais do que mero aborrecimento ou transtorno cotidiano, atingindo a esfera da personalidade”, disse a juíza.

VEJA TAMBÉM:

–> Mais um golpe no WhatsApp tenta contornar autenticação em duas etapas

–> Flagrante: veja como é aplicado um golpe de WhatsApp

–> Golpe do WhatsApp rende condenação para a TIM


Com isso, a magistrada condenou as duas empresas a pagarem R$ 3.344 por danos materiais à vítima, além de R$ 3 mil por danos morais.

Alerta

Nesta quinta-feira, 19 de agosto, o TJ-SP também publicou uma nota pública no qual faz um alerta sobre o aumento no número de casos de crimes virtuais.

A Assessoria Policial Civil do Tribunal de Justiça de São Paulo fez algumas recomendações de segurança, como ocultar a foto de perfil no WhatsApp (exibindo apenas para os contatos salvos), manter a dupla autenticação ativa e desconfiar de mensagens suspeitas recebidas (ligando ou fazendo chamada de vídeo para confirmar a veracidade).

“Cuidado com pedidos de dinheiro e fornecimento de códigos enviados pelo WhatsApp. Os golpistas usam dados online e foto para criar um perfil fraudulento do mensageiro. Desconfie sempre de mensagem que comece assim: ‘troquei meu celular’, orienta o TJ-SP.

Com informações de Migalhas e TJ-SP.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários