InícioEconomia e NegóciosVocê Sabia? Ação internacional da dona da Vivo é negociada na Bolsa...

Você Sabia? Ação internacional da dona da Vivo é negociada na Bolsa brasileira

Novidade permite que investidores pessoa física apliquem dinheiro em mercados estrangeiros e utilizando moeda local.

Você Sabia? Ação internacional da dona da Vivo é negociada na Bolsa Brasileira

Muita gente não sabe, mas qualquer pessoa pode investir em ações de empresas estrangeiras por meio da Bolsa de Valores do Brasil (B3) e utilizando moeda local. É o caso da espanhola Telefónica (TLNC34), controladora da Vivo (VIVT3) no Brasil.

Chamados de BDRs (sigla de “Brazilian Depositary Receipts” ou “Certificados de Depósitos de Valores Mobiliários”), eles funcionam como certificados que representam ações emitidas por empresas estrangeiras, mas que são negociadas no pregão da B3. É uma forma simples e segura de investir no exterior, no qual instituições compram essas ações e revendem para investidores brasileiros. Vale destacar que a pessoa não compra diretamente as ações da empresa no exterior, mas apenas os títulos que representam esses papéis, podendo lucrar com a valorização do preço ou distribuição de dividendos.

O investimento de pessoas físicas em BDR é uma novidade, lançada em outubro de 2020 pela B3. Isso possibilita que investidores diversifiquem a carteira, não ficando restrito apenas às flutuações do mercado de capitais nacional. Com isso, qualquer pessoa pode investir indiretamente em ações da Amazon (AMZO34), Microsoft (MSFT34), Apple (AAPL34), Google (GOGL34), Facebook (FBOK34), Disney (DISB34) e Netflix (NFLX34), por exemplo.

Além da Telefónica, é possível investir em ações de outras teles, como a mexicana América Móvil (A1MX34) – controladora da Claro -, a americana AT&T (ATTB34), a britânica Vodafone (V1OD34), entre outras. Por enquanto, a Telecom Italia – controladora da TIM (TIMS3) não conta com BDRs.

VEJA TAMBÉM:

–> Brisanet estreia na Bolsa de Valores sendo avaliada em R$ 6,3 bilhões

–> Oi emite títulos em dólares com o objetivo de refinanciar dívidas

–> TIM paga a acionistas R$ 350 milhões em juros sobre capital próprio

Existem dois tipos de BDRs, os patrocinados e os não patrocinados. No primeiro tipo, a empresa estrangeira contrata um banco para a compra e depósito de ações no mercado brasileiro. Já o segundo, uma instituição brasileira tem a iniciativa de ofertar as BDRs na B3, sem que a estrangeira faça necessariamente algum tipo de acordo.

No caso dos patrocinados, os códigos dos BDRs são identificados com a terminação 32 e 33. Já os não patrocinados terminam com 34 ou 35.

O investidor interessado nos BDRs precisa acompanhar o câmbio, pois, por mais que as ações estrangeiras subam, se o dólar cai, por exemplo, isso refletirá nos ganhos. Além disso, as ações negociadas no Brasil tem a isenção do imposto sobre o lucro para operações mensais abaixo de R$ 20 mil. Já os BDRs não tem faixa de isenção e os dividendos podem ser taxados com as diferentes regras tributárias de cada país.

No encerramento do pregão desta quarta-feira, 28 de julho, os BDRs da Telefónica eram cotadas a R$ 23,13. Já as ações da Vivo eram negociadas a R$ 41,44.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
CONTEUDO RELACIONADO
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários

MAIS POPULARES