Premier Access do Disney+ pode estar com ‘dias contados’

Gigante de Hollywood, simbolizada pelo Mickey, pode apostar suas fichas na retomada dos cinemas em determinados países.

Aba do Premier Access no Disney+. Imagem: Reprodução de Tela
Aba do Premier Access no Disney+. Imagem: Reprodução de Tela

A Disney não agradou muito os assinantes do Disney+ quando surgiu com o ‘Premier Access’, principalmente os brasileiros. Afinal, no país, o custo fica quase em R$ 70.

Com esse valor, muitos conseguiam ir aos cinemas, pagar uma meia-entrada e ainda garantir a pipoca, nos tempos antes da pandemia.

Portanto, é compreensível que os usuários não fiquem nada felizes em arcar com esse valor a parte da assinatura que já é cobrada mensalmente pelo streaming.

Para completar, a Disney ainda vai cobrar pela liberação do streaming STAR+, que trará o conteúdo do Hulu ao Brasil.

VEJA TAMBÉM:

–> Sucesso de série derruba servidores do Disney+

–> Filme ‘Cruella’ é vazado na íntegra em site pornô
 
–> Disney+ vai cobrar R$ 69,90 além da assinatura em lançamento

Em alguns países, por exemplo, o serviço chegou como uma aba do Disney Plus, sem qualquer custo extra para os assinantes.

Mas, a polêmica do Premier Access pode chegar ao fim, mesmo que ainda não existe nenhuma confirmação oficial da empresa.

O primeiro indício foi a diminuição do intervalo de tempo entre os filmes que vão estrear no cinema e suas respectivas chegadas no streaming.

Os longas estarão disponíveis apenas 45 dias após suas estreias nas telonas. Os primeiros a passarem por isso serão “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis” e “Free Guy: Assumindo o Controle”.

Atualmente, os assinantes precisam aguardar 90 dias para conferir o filme na própria residência. A alternativa é mesmo o ‘Premier Access’, que libera a atração de forma quase simultânea com os cinemas.

Mesmo que ainda não esteja confirmada, a extinção da modalidade ‘paga’ para conferir lançamentos pode ser estratégico.

Primeiro para voltar a acelerar o número de assinantes do Disney+, que entrou em um ritmo mais lento nos últimos meses.

O segundo motivo é um possível otimismo na retomada nos cinemas, que podem voltar a gerar altas bilheterias devido aos efeitos da vacinação em massa em alguns países.

Na conta, há também a concorrência do HBO Max, que pretende disponibilizar lançamentos dos cinemas com apenas um intervalo de tempo de 45 dias também. Nos EUA, o processo ocorre de forma simultânea.

Shang-Chi, da Marvel Studios, estreia em 3 de setembro de 2021. Com isso, estará no Disney+ por volta do dia 15 de outubro.

Já Free Guy para 10 de dezembro, portanto, deve debutar na plataforma em janeiro de 2022.

Com informações de Omelete

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários