Pequenos provedores se unem para concorrer no leilão do 5G

Consórcio formado por 100 empresas regionais pretende entrar no mercado de telefonia móvel.

Pequenos provedores se unem para concorrer no leilão do 5G

Um consórcio formado por 100 provedores regionais de banda larga fixa (ISPs, na sigla em inglês) iniciou os estudos econômicos, jurídicos e regulatórios, além do aporte de recursos, para participar do leilão de frequências do 5G.

O grupo mira nas licenças regionais da faixa de 3,5 GHz, com foco na prestação de serviços no mercado móvel.

Por enquanto, a maioria dos provedores participantes do consórcio estão localizados nas regiões Sul e Centro-Oeste do Brasil.

Entretanto, é esperado que mais empresas de outras regiões integrem o grupo de provedores, conforme o leilão se aproxima e os estudos de viabilidade técnica e jurídica são concluídos.

VEJA TAMBÉM:

–> Fala de ministro sobre 5G DSS conflita com definições técnicas do 3GPP

–> Brasil ativa a primeira antena 5G rural do país

–> Ministro diz que edital 5G não precisa obrigar teles a cobrirem escolas

A iniciativa é da IXSoft, uma empresa de processamento de dados de Santa Catarina, que presta serviços para mais de três mil provedores em todo o país.

“Para cumprirmos todas as premissas determinadas pelo edital, teremos que ter uma forte adesão dos ISPs. Temos o compromisso de assegurar total transparência e governança para as empresas que participarem do projeto”, afirmou Cleiton Paris, CEO da IXCSoft, ao Telesíntese.

Em vez de apostar no lançamento de operadoras virtuais (MVNO, na sigla em inglês), que apresenta margens muito estreitas, o consórcio prefere partir para a compra de frequências, algo que demanda maior aporte de capital, além do cumprimento de várias obrigações previstas no edital de licitação.

“Não descartamos os fundos de investimentos, mas a intenção é participar com ou sem o dinheiro dos fundos”, explica Paris.

Os provedores participantes do consórcio são de diferentes tamanhos, desde os pequenos (com cerca de 2 mil acessos), até as empresas de maior porte (com até 70 mil acessos).

Os provedores regionais – que já possuem uma boa capilaridade na oferta da banda larga fixa – esperam ampliar os serviços para o mercado de telefonia celular, por meio do 5G.

Com informações de Telesíntese.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários