Para fundador do Telegram, uso do iPhone o tornou escravo digital da Apple

As duas empresas já não se davam muito bem e agora a gigante de Cupertino recebe mais essa crítica.

Pavel Durov, um dos fundadores do Telegram e CEO do mensageiro, disse recentemente ao The New York Times que ele se tornou um escravo digital da Apple por ter um iPhone em mãos.

Durov acredita que os dispositivos vendidos pela Apple estão desatualizados, dando como exemplo as telas que não alcançam os 120 Hz dos melhores aparelhos com Android, chegando no máximo a 60 Hz no iPhone.

“Cada vez que preciso usar um iPhone para testar nosso aplicativo no iOS, sinto que estou de volta à idade média.”

Pavel Durov, CEO do Telegram

Disse ainda que a Maçã é eficiente em vender “hardware obsoleto e caro” e que ela prende seus clientes.

VEJA TAMBÉM:

–> Após polêmica do WhatsApp, procura pelo Telegram e Signal dispara

–> Seguindo exemplo do Telegram, WhatsApp testa novo recurso

–> Telegram recebe cerca de US$ 1 bilhão em investimentos

Ele também criticou a política imposta dentro do ecossistema de aparelhos da Apple que impede os usuários de instalarem apps de fora da App Store.

Isso vem na esteira do Telegram estar disponível oficialmente fora da Play Store, de modo que os usuários possam ter acesso às atualizações mais recentes antes delas chegarem na loja oficial do Android.

Na sequência de críticas contra a Apple estava também o fato da gigante permitir usar o iCloud só para backup dos dados nativos do usuário.

Além disso, para Durov, a Apple teria dado o controle de seus centros de dados em Guiyang para o governo chinês.

Por fim, Pavel Durov soltou que, diante de um sistema tão fechado e controlado, é por isso que “a abordagem totalitária da Apple é tão apreciada pelo Partido Comunista da China”.

Ao contrário do Android, o ecossistema da Apple é um jardim cercado e mantido sob o olhar atento da gigante de Cupertino. Tudo tem menos liberdade do que o sistema concorrente do Google.

Isso tem suas vantagens e desvantagens, sendo que a privacidade e segurança estão no primeiro grupo, assim como a capacidade de ter um melhor controle das atualizações do sistema operacional e a abrangência delas.

No Android há aparelhos com sistemas muito defasados pois foram abandonados pelas fabricantes. Mesmo nos modelos mais recentes, nem sempre há garantias da próxima versão estar disponível.

Porém do lado das desvantagens está o já mencionado ambiente fechado e restrito. Desenvolvedores e plataformas que lidam com os aparelhos da marca pedem por mais liberdade.

Com informações de Pplware

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários