Vivo lança programa de apoio à carreira de colaboradores negros

Operadora busca promover o orgulho, empoderamento e autoconhecimento racial.

Vivo lança programa de apoio à carreira de colaboradores negros

A operadora Vivo acaba de anunciar o lançamento de um projeto que visa desenvolver a carreira de 100 colaboradores negros.

O programa de empoderamento social é feito em parceria com o Instituto Modo Parités.

A partir dele, os participantes terão acesso a um curso com duração de seis meses.

A ideia é reunir especialistas do mercado para abordar habilidades comportamentais e competências, tendo como enfoque o empoderamento e quebra da barreira estrutural do racismo.

VIU ISSO?

–> Vivo promove hashtag pelo dia da ‘Consciência Negra’

–> Pathy Dejesus é a mais nova embaixadora da Vivo

–> Record TV é acusada de racismo por espectadores

O curso promovido pela Vivo inicia agora em abril, mês escolhido pela operadora para debater a discriminação racial baseada em tons de pele.

Participarão colaboradores dos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, além do Distrito Federal, incluindo integrantes do grupo de Diversidade de afinidade de raça da companhia.

Diante da pandemia, os participantes receberão todo o treinamento de forma digital, uma vez por mês.

O projeto inclui lives com colaboradores por meio do “Workplace by Facebook”, uma rede social interna utilizada pela Vivo.

Entre as pautas, está a necessidade de ampliação da diversidade no mercado de trabalho, principalmente no setor de tecnologia.

A empresa afirma que busca incentivar com o projeto o debate sobre o colorismo, reduzir preconceitos e valorizar a cultura negra.

“Queremos que os colaboradores desenvolvam suas potencialidades e valorização racial, além de debater e defender pontos de vista que sejam relevantes para eles e toda a sociedade. Com o aprimoramento de soft skills, certamente estarão mais preparados para aproveitar as oportunidades aqui dentro da Vivo, pois entendemos a importância do aumento da representatividade e do oferecimento de condições igualitárias de desenvolvimento”, diz Niva Ribeiro, vice presidente de pessoas da Vivo.

A Vivo se diz engajada em iniciativas de temática racial, inclusive com metas de aumento da representatividade de negros na empresa.

No último programa de trainee da operadora, 43% das vagas foram preenchidas por candidatos negros, sendo que a empresa tinha definido o mínimo de 30% das oportunidades para esse público.

No ano passado, a Vivo ficou em 2º lugar no ranking de empresas que promovem ações de redução da desigualdade social, segundo a Universidade Zumbi dos Palmares.

Além de negros, a operadora tem programas de inclusão de gêneros, LGBT+, raça e pessoas com deficiência.

“A empresa carrega um DNA forte e inclusivo, impulsionando o compartilhamento de valor e a transformação positiva da sociedade por meio de uma constante evolução dos critérios ESG (Ambiental, Social e Governança Corporativa, na sigla em inglês) aplicados à estratégia de negócio da companhia. A sólida governança reforça a transparência nas relações com investidores, colaboradores, clientes, comunidade e governo, e pauta ações transformadoras no âmbito social e ambiental”, afirma a Vivo em comunicado.

Com informações de Assessoria de Imprensa Vivo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários