Vivo aparece entre as 25 marcas mais valiosas do Brasil em 2020

Apesar disso, empresa perdeu 6% do seu valor de marca na comparação com o ano passado. Veja o ranking completo.

A marca de telecomunicações Vivo é a 17ª mais valiosa do Brasil, com valor estimado em US$ 934 milhões (aproximadamente 4,95 bilhões de reais).

A constatação foi feita pelo ranking BrandZ Brasil, produzido pela subsdiária brasileira da multinacional britânica WPP Group em parceria com o Grupo Kantar, também de origem inglesa. Um total de 500 marcas brasileiras foram analisadas.


De acordo com o ranking, a marca Vivo vale mais do que empresas como Seara, Extra, Casas Bahia e Caixa Econômica Federal. Apesar disso, a empresa perdeu 6% do seu valor de marca na comparação com o ano passado.

O Itaú aparece no topo do ranking pela primeira vez desde 2006, quando as pesquisas para o BrandZ Brasil começaram a ser realizadas. Em 2019 quem ocupava o primeiro lugar também era um banco, só que o Bradesco, que agora caiu para o terceiro lugar.

VIU ISSO?

–> Descubra o valor de mercado atualizado das empresas de telefonia

–> Em 2015, Oi e Vivo eram as marcas mais valiosas do Brasil

–> Vivo entra no ranking das 150 melhores empresas para trabalhar

Segundo a Kantar e a WPP, é considerada a rentabilidade financeira de cada marca, com base em dados da Bloomberg, mas também o “valor de contribuição” dela. Uma marca com um alto valor de contribuição geralmente é aquela que mantém um preço elevado (premium price), e mesmo assim consegue aumentar o volume de compra dos seus produtos.

Pode aparecer na lista uma marca de companhia de capital aberto ou fechado, desde que ela divulgue informações financeiras publicamente; tenha sido criada no Brasil ou seja controlada por uma empresa brasileira; ou opere majoritariamente no país, no caso de o controlador ser estrangeiro. A marca também precisa estar gerando “lucro econômico positivo”.

Veja abaixo a lista completa das marcas mais valiosas do Brasil em 2020:

  1. Itaú – US$ 8.268 bilhões (-1%)
  2. Skol – US$ 6.797 bilhões (-6%)
  3. Bradesco – US$ 6.137 bilhões (-35%)
  4. Magazine Luiza – US$ 5.111 bilhões (+124%)
  5. Brahma – US$ 3.720 bilhões (-2%)
  6. Globo – US$ 3.295 bilhões (-9%)
  7. Antarctica – US$ 2.558 bilhões (-4%)
  8. Lojas Renner – US$ 2.273 bilhões (+19%)
  9. Amil – US$ 2.050 bilhões (+11%)
  10. Sadia – US$ 1.637 bilhão (+22%)
  11. Ypê – US$ 1.570 bilhão (+13%)
  12. Natura – US$ 1.516 bilhão (0%)
  13. Pão de Açúcar – US$ 1.299 bilhão (+187%)
  14. Lojas Americanas – US$ 1.282 bilhão (+2%)
  15. Localiza – US$ 1.268 bilhão (+72%)
  16. Banco do Brasil – US$ 1.039 bilhão (+29%)
  17. Vivo – US$ 934 milhões (-6%)
  18. Seara – US$ 827 milhões (+35%)
  19. Extra – US$ 751 milhões (+219%)
  20. Porto Seguro – US$ 674 milhões (-2%)
  21. Schin – US$ 619 milhões (+3%)
  22. Ypióca – US$ 613 milhões (-39%)
  23. Assaí Atacadista – US$ 559 milhões (+192%)
  24. Caixa – US$ 389 milhões (+19%)
  25. Casas Bahia – US$ 365 milhões (-19%)

Veja como o valor das marcas evoluíram nos últimos 14 anos:

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Vagner Santos
Entusiasta de Telecomunicações. Fundador do Minha Operadora, hoje um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecom do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários