Oi cogita participar do leilão do 5G

Executivo da operadora já havia afirmado que a operadora não tinha interesse em participar da licitação de frequências.

Oi cogita participar do leilão do 5G

Nesta terça-feira, 13 de abril, Rodrigo Abreu, CEO da Oi (OIBR3/OIBR4), disse que a operadora tem interesse em participar do leilão do 5G.

Entretanto, Abreu afirmou que a companhia não pretende oferecer o serviço móvel por meio de uma rede 5G para o consumidor final.

Segundo o executivo, a participação da operadora na licitação terá como maior foco a infraestrutura de fibra para a implantação do 5G, por meio da InfraCo, e na oferta de banda larga fixa e sem fio (FWA) para alguns clientes nas faixas de 25 GHz e 26 GHz.

“Ainda é cedo para falar ou afirmar. Vamos participar enquanto Oi no leilão do 5G, quando acontecer, mas estamos esperando para analisar as opções e a versão final do RFP [pedido de proposta]”, explicou o CEO da Oi.

VIU ISSO?

–> TCU vê possíveis ‘pedaladas fiscais’ na proposta de edital do 5G

–> Edital do 5G pode ficar pronto apenas em agosto, diz Leonardo Euler

–> Idec quer acompanhar o processo de venda da Oi Móvel

A fala de Abreu ocorreu durante teleconferência para apresentação da proposta de venda da InfraCo, a nova unidade de fibra da Oi, para o Grupo BTG Pactual.

Rodrigo reconheceu as oportunidades que o 5G trará para a InfraCo, principalmente pela necessidade de infraestrutura de fibra, por conta de todas as exigências e capilaridades necessárias para a implementação das novas estações rádio base para a conexão móvel de nova geração.

É válido lembrar que em fevereiro passado, Eduardo Levy, vice-presidente de relações institucionais da Oi havia afirmado que a operadora não participaria do leilão de frequências, algo que foi confirmado dias depois pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Na época, a afirmação de Levy é justificada pela venda da Oi Móvel, assim como a possibilidade da operadora ser impedida de participar do leilão.

Um possível entrave é que as faixas licitadas sejam todas destinadas para uso no serviço de telefonia móvel e não apenas para a banda larga fixa sem fio.

A Oi também poderia ser impedida de participar do leilão por estar em “em processo de transferência de controle societário”.

Atualmente, a proposta de edital do leilão aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está em análise no Tribunal de Contas da União (TCU).

A expectativa é que ela seja aprovada até o final deste semestre.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários