InícioSegurança DigitalFCC inicia processo para cassar licença de atuação da China Unicom nos...

FCC inicia processo para cassar licença de atuação da China Unicom nos EUA

Órgão regulador argumenta que a medida serve para afastar possíveis ameaças à segurança nacional.

Logotipo da China Unicom na cor branca em um fundo vermelho.
Imagem: Shutterstock.

A operadora de telecomunicações chinesa, China Unicom, pode estar com seus dias de operação contados nos Estados Unidos.

Isso porque a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC) iniciou nesta terça-feira, 17, um processo de revogação da licença de atuação da operadora no país.

Segundo a FCC, a medida tem o objetivo de garantir mais proteção para a infraestrutura de telecomunicações dos Estados Unidos, protegendo o país de potenciais ameaças à segurança nacional.

Isso porque a operadora chinesa atua no país através de sua subsidiária China Unicom Americas, que para a FCC é controlada indiretamente pelo governo chinês.


Essa desconfiança do órgão regulador americano começou a se manifestar mais concretamente no ano passado, quando emitiu um documento exigindo que a China Unicom Americas desse motivos para que não tivesse sua licença revogada.

No entanto, os argumentos apresentados pela subsidiária chinesa não foram suficientes para acabar com as preocupações da FCC.

VIU ISSO?

–> Operadoras chinesas são expulsas da Bolsa de Nova York

–> Após operadoras chinesas, Trump mira na Tencent

–> EUA pretende financiar empresas concorrentes da Huawei

Agora, a China Unicom Americas terá que responder outros questionamentos referentes ao processo. Em seguida, o órgão regulador da área de telecomunicações e radiodifusão dos Estados Unidos vai permitir que a operadora chinesa, agências do Poder Executivo interessadas e o público apresentem evidências a respeito do caso.

Essa política ‘anti-China’ parece ter sido a marca mais evidente deixada pelo ex-presidente Donald Trump. Na última semana, por exemplo, o governo Joe Biden decidiu endurecer ainda mais as restrições impostas à Huawei, empresa multinacional de equipamentos para redes e telecomunicações, sediada na China.

Política de restrições à empresas chinesas

No ano passado, Donald Trump criou uma lei para que as operadoras que fossem consideradas uma ameaça à segurança nacional tivessem sua licença de atuação nos Estados Unidos revogada.

Seguindo essa política, a FCC divulgou na última semana uma lista atualizada das empresas de telecomunicações que são consideradas perigosas para a segurança do país.

O documento contém cinco empresas chinesas, sendo elas a Huawei e ZTE, que já estavam na lista, e as empresas Hikvision, Hytera Communications e Dahua Technology, que atuam na área sistemas de telecomunicações e de vigilância de por vídeo.

Com informações de Telesíntese.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários