Estreia simultânea no HBO Max e nas salas de cinema deve acabar em 2022

Produções da Warner Bros. serão exibidas no cinema, durante 45 dias, antes do lançamento na plataforma de streaming.

Imagem com capas de produções do HBO Max ao fundo e logotipo do streaming em cima.
Imagem ilustrativa.

A Warner Bros. recebeu diversas críticas pela decisão de lançar suas produções simultaneamente nos cinemas e no HBO Max, sua plataforma de streaming.

No entanto, isso deve acabar em breve. É que a WarnerMedia firmou um acordo com a Regal Cinemas, segunda maior rede desse tipo de segmento nos Estados Unidos.

O acerto, que começa a valer em 2022, acaba com a condição de que a estreia das produções aconteça de forma simultânea e dá exclusividade de exibição para a Regal Cinemas durante 45 dias.

Somente depois desse período é que os conteúdos poderão entrar no catálogo do HBO Max ou serem disponibilizados em DVD/Blue-ray.

A decisão da Warner foi tomada durante o aumento das distribuições de vacinas contra o novo coronavírus nos Estados Unidos.

VIU ISSO?

–> HBO Max terá 17 estreias simultâneas com os cinemas

–> Entenda a polêmica ao redor do streaming HBO Max

–> AT&T terá mais foco no streaming com o HBO Max

Na última terça-feira, 23, a Regal Cinemas anunciou que deve reabrir algumas salas nos Estados Unidos, a partir do dia 2 de abril.

A rede ainda anunciou que mais salas deverão ser abertas em outras 16 localidades, duas semanas depois, no dia 16 de abril.

As datas coincidem com os lançamentos de Godzilla vs. Kong nos Estados Unidos, que acontece no dia 31 de março e Mortal Kombat, que deve estrear no dia 15 de abril.

No momento, a parceria está confirmada apenas entre o estúdio e a Regal Cinemas, mas deve se estender para outras redes.

Em fevereiro deste ano, a Paramount Pictures também anunciou que seus filmes seriam exibidos exclusivamente nos cinemas durante 45 dias e, só depois, lançados em sua plataforma de streaming.

O tempo dos acordos de exclusividade por 45 dias parecem ter se tornado um padrão entre os estúdios e as redes de cinema.

Antes da pandemia, por exemplo, as redes exigiam pelo menos 90 dias de exclusividade e não aceitavam períodos de tempo menores do que esse.

O provável neste momento é que esse acordo de exclusividade entre a Warner Bros. e a Regal Cinemas dê uma acalmada nos ânimos daqueles criticavam os lançamentos simultâneos nas salas de cinema e na plataforma de streaming.

Com informações de Collider.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários