Controladora da Vivo negocia a venda milionária de data centers

Companhia espanhola pretende transferir unidades para uma nova entidade que será gerenciada pela empresa de investimentos Asterion.

De acordo com fontes que não quiseram ser identificadas, a espanhola Telefónica (controladora da Vivo no Brasil) está negociando com a private equity Asterion Industrial Partners a gestão dos data centers da companhia.

A ideia é que a Telefónica transfira cerca de doze data centers da Europa e da América Latina para uma nova entidade, que terá a gestão da Asterion.

Em troca, a empresa espanhola receberia uma compensação financeira.

Segundo as fontes, as negociações estão avançadas e a operação deve ser anunciada em breve.

VIU ISSO?

–> Telefônica anuncia alienação da CyberCo Brasil

–> Dona da Vivo recebe aprovação para extinguir ações preferenciais

–> Dona da Vivo vende sua operação móvel na Costa Rica

Entretanto, eles dizem que a transação ainda corre o risco de não vingar.

Caso seja concretizado, o acordo seria o segundo firmado entre a Telefónica e a Asterion envolvendo data centers.

Em 2019, a empresa de investimentos comprou 11 centros em sete países por 550 milhões euros (R$ 3,6 bilhões na cotação atual).

O novo acordo ainda não teve o valor informado, mas é esperado que este seja menor do que a transação de 2019, uma vez que os data centers agora negociados possuem uma tecnologia mais antiga.

Além disso, a transação é mais um passo para a materialização da unidade de infraestrutura da Telefónica.

A empresa de telecomunicações espera vender a administração de ativos para parceiros, com o objetivo de reduzir custos de investimentos e diminuir dívidas.

Recentemente, a Telefónica anunciou uma parceria com a Allianz, para a criação de uma empresa de banda larga por fibra para o atacado, na Alemanha.

Com informações de Money Times.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários