Início5GVacina pode facilitar atuação da Huawei no 5G brasileiro

Vacina pode facilitar atuação da Huawei no 5G brasileiro

Imunizante contra o novo coronavírus pode ter sido utilizado como barganha para negociação com o Governo Federal.

Vacina Coronavac - Wikimedia Commons
Imagem: Vacina Coronavac – Wikimedia Commons

Há um fato provável que pode facilitar um “passe livre” da chinesa Huawei no 5G brasileiro: a vacina Coronavac.

O imunizante contra o novo coronavírus é o mais avançado no Brasil, principalmente no desenvolvimento, pelo Instituto Butantan.

Na prática, o país depende de três nações para conseguir conter a pandemia, que são China, Índia e Rússia.

São os três que vendem tanto insumos quanto vacinas prontas para diminuir os assustadores números de mortes e casos da COVID-19.


VIU ISSO?
 
–> TCU quer garantir que leilão do 5G ocorra até junho

–> Bolsonaro deve liberar atuação da Huawei no Brasil

–> Deputados se unem para impedir veto da Huawei no 5G

De acordo com o colunista Alberto Carlos Almeida, a política sempre estará por trás e todos terão poder de barganha na negociação e quem tem mais a ganhar é a China.

Afinal, o país disputa espaço no mercado 5G, em meio a uma pressão gigantesca dos Estados Unidos, que pedem o banimento da Huawei.

Ainda não há nada oficializado, mas há quem acredite na possibilidade de uma barganha, já que o Governo Federal se rendeu ao imunizante tão depressa.

Por sinal, a China é o país com maior capacidade de produção para entregar toda a demanda que o Brasil necessita para vacinar a população.

A grande certeza é que o país conquistará muitos mercados graças a Coronavac.

Com informações de VEJA

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

3 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
3 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários