Falha no Disney+ aceitava cartão de crédito e CPF falsos

Infratores conseguiam aumentar o período de sete dias gratuitos no Disney Plus e ainda ensinavam pelo YouTube; entenda.

Divulgação Disney+
Imagem: Divulgação Disney+

Na última terça-feira, 17 de novembro, a estreia do Disney+ causou alvoroço entre os brasileiros e não demorou para que infratores explorassem uma possível falha do serviço.

O cadastro na plataforma exigia poucas informações como nome completo, CPF e dados de pagamento.


Mas a falha estava justamente na conferência do cartão de crédito utilizado, já que a empresa não conferia se o número era válido e aceitava cobranças.

Com isso, diversos usuários utilizaram geradores falsos de CPF e números de cartão e conseguiram os sete gratuitos. Alguns realizaram tutoriais e divulgaram no YouTube.

VIU ISSO?

–> Prós e contras do Disney Plus até o momento

–> Assinantes notam ausência de conteúdo no Disney+

–> Séries e filmes do Hulu podem chegar no Disney+

A ideia era ter acesso vitalício ao streaming, sem a necessidade de arcar com o valor de assinatura cobrado. Bastava utilizar os geradores e sempre criar um novo período de degustação do serviço.

No entanto, não demorou para que a empresa corrigisse a falha. Afinal, além de uma fraude, consta no contrato de serviço que é proibido utilizar uma identidade falsa.

De acordo com uma apuração do Tecnoblog, que simulou o processo, a contratação fraudulenta não é mais permitida.

O streaming está disponível para contratação por R$ 27,90 mensais e R$ 279,90 no plano anual. Todas as modalidades incluem a degustação gratuita de 7 dias.

Com informações de Tecnoblog

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários