Burocracia será obstáculo para a expansão do 5G no Brasil

Maiores prejudicadas serão as regiões carentes ou de difícil acesso, dizem especialistas.

Nesta sexta-feira, 21, durante evento online realizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) e pelo portal Jota, especialistas teceram comentários sobre a futura implantação da rede 5G no Brasil, bem como os seus principais obstáculos.

Para representantes do setor de telecomunicações, as legislações municipais e a alta carga tributária podem atrasar a expansão da conexão de quinta geração no país, principalmente nas regiões carentes ou de difícil acesso.


Nilo Pasquali, superintendente de planejamento e regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), é um dos que defende fazer um leilão de frequências mais focado em cobertura do que em arrecadação. Para ele, há muitas legislações municipais restritivas à implantação da infraestrutura de telecomunicações.

“São 5570 municípios com legislações diferentes e há dificuldade para se montar uma infraestrutura móvel. Algumas localidades como Distrito Federal e Porto Alegre avançaram bem. São Paulo está em discussão, mas temos que fazer valer regras menos restritivas”, ressaltou Pasquali.

O superintendente da Anatel disse que a demora no licenciamento de antenas não é um problema apenas do 5G, mas também para a implementação do 4G. Ele também destaca que será necessária uma infraestrutura muito maior do que a atual para oferecer a conexão de nova geração.

Já Otto Solino, Coordenador-geral de Infraestrutura de Banda Larga do Ministério das Comunicações, garantiu que o governo deve publicar um decreto que resolve a questão do direito de passagem e o uso de postes.

VIU ISSO?

–> Forças Armadas do Brasil não apoiam boicote à Huawei

–> Leilão 5G gera discordância entre ministros

–> Leilão do 5G deve ocorrer apenas em maio ou junho de 2021

A ideia é estimular a implantação de infraestrutura de telecomunicações em conjunto com obras de interesse público, o que inclui rodovias, ferrovias, redes de transmissão de energia, entre outras.

“Além disso, a Lei Geral das Antenas já prevê um prazo de 60 dias para o Poder Público responder às solicitações para implantação de infraestrutura de telecomunicações. Por outro lado, ela não estabeleceu nenhuma consequência. O decreto vai trazer exatamente estas consequências, dentre elas, a autorização tácita [automática], caso o prazo não seja respeitado”, disse Solino.

O leilão de frequências do 5G segue sem data definida, com expectativa de ser realizado no primeiro trimestre de 2021.

Com informações de Agência Telebrasil e Folha de Pernambuco.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Jefferson

Tudo que é para melhorar a vida das pessoas, no Brasil, é burocrático. Isso é reflexo dos governos canhotos que tudo queriam controlar. Mas vamos caminhando para transformar o Brasil em um país livre e conectado!!!

Cidade - UF
Recife - PE
Última edição 1 mês atrás de Jefferson