InícioRegulaçãoReajuste de chamadas coloca Claro contra Oi, Vivo e TIM

Reajuste de chamadas coloca Claro contra Oi, Vivo e TIM

Ato, que segue em trâmite na Anatel desde 2018, criou um verdadeiro embate entre operadoras.

Ilustração: Pixabay
Imagem: Pixabay

Você gosta do seu plano com chamadas ilimitadas? Então é bom ter atenção, pois um ato que tramita na Anatel desde 2018 pode afetar o modelo de negócio adotado pelas operadoras a partir de 2017.

A medida em questão é um reajuste em até 70% na tarifa de interconexão, ou seja, a taxa cobrada pela ligação via rede de diferentes operadoras, de acordo com a região do consumidor.

É um aumento que divide opiniões no mercado de telecomunicações e rivaliza as principais empresas de telefonia.

De um lado, Claro, Algar e Telcomp lutam para que o reajuste seja revisado e a Anatel coloque um preço mais acessível do que o estipulado.


No outro campo de disputa, estão Oi, Vivo e TIM a favor de que a medida seja efetivada. Para as companhias, qualquer revisão depois da aprovação deve passar por debates de contribuição pública.

Trata-se de um embate que coloca as empresas em diferentes pontos de vista.

VIU ISSO?

–> Reajuste do TIM Beta gera insatisfação na internet

–> Sindicato do Rio cobra reajuste salarial das operadoras

–> Oi tem maior reajuste nas chamadas fixo-móvel

Para a Claro e outras que são a favor da revisão, é perigoso que o reajuste afete um modelo de negócio que já se tornou muito popular na oferta de todas as empresas: as chamadas ilimitadas para qualquer operadora.

Já empresas que estão do outro lado, como a TIM, argumentam que o valor total das tarifas com o reajuste e desconto da inflação não chegaria ao patamar de 2017, ano em que o modelo de negócio foi adotado.

A empresa da Telecom Itália chegou a conseguir uma liminar para barrar a revisão do reajuste, mas teve sua solicitação derrubada.

Marcas como Oi, TIM e Vivo afirmam que já adequaram até mesmo seus planejamentos financeiros para a mudança.

A pergunta que não quer calar é: os consumidores serão afetados ou não?

Tudo indica que sim, caso contrário não teriam empresas na batalha contra o reajuste. Afinal, com um aumento, é possível que os usuários passem a gastar menos com telefonia e adaptem seus planos contratados.

[ATUALIZAÇÃO – 19/02/2020 11H26]

É importante mencionar também que a revisão do reajuste foi aprovada pela Anatel na última terça-feira, 18.

O ato que determinava o aumento de 70% fica revogado a partir do dia 24 de fevereiro. Abaixo, confira a porcentagem de aumento e diminuição para determinadas regiões.

  • Oi, Claro, Vivo e TIM – Região I (Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Pará, Amapá, Amazonas e Roraima)

    2,97%

  • Claro, Vivo e TIM – Região II (Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rondônia e Acre)

    +2,17%

  • Claro, Vivo e TIM – Região III (estado de São Paulo)

    +6,75%

Com informações de Tele.Síntese e Olhar Digital

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]

8 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
8 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários