Satélites da Starlink poderão ser vistos nesta madrugada no Brasil

Saiba como e quando observar os pontos brilhantes no céu.

Foto: Egon Filter

Se as nuvens permitirem, entre os dias 15 e 19 de janeiro, os brasileiros poderão observar antes do nascer do Sol os satélites da Starlink, o projeto ambicioso de Elon Musk que pretende levar internet de alta velocidade via satélite para todo o planeta.

No dia 6 de janeiro, a SpaceX lançou em órbita o terceiro lote da Starlink, contendo 60 minissatélites. O grupo de objetos já havia sobrevoado o Brasil na semana passada, mas ainda não era visível no país, pois o evento aconteceu durante o dia.


No entanto, nos próximos dias, ele poderá ser observado nas madrugadas de quarta-feira até domingo, em torno de 4h e 6h da manhã, dependendo da localidade do observador. Em São Paulo, por exemplo, será possível ver os satélites entre 5h25 e 5h34 (horário de Brasília).

Para observar, amanhã, acorde cedo e olhe na direção um pouco acima do horizonte. Os satélites vão se movimentar no céu da região nordeste para o sudeste. Para se localizar, utilize uma bússola ou lembre que o Sol nasce no horizonte leste.

VIU ISSO?

–> Moradores avistam pontos luminosos no céu

–> SpaceX e OneWeb estão por trás de boom de avistamento de OVNIs

–> SpaceX lança primeiros 60 satélites Starlink para serviço de Internet

A olho nu é possível ver uma série de pontinhos brilhantes alinhados e se movimentando no céu. O brilho se deve ao reflexo do Sol na fuselagem dos satélites.

Como o brilho é relativamente fraco, quanto mais escuro estiver o local (longe da iluminação das grandes cidades) mais fácil será achar os satélites no céu.

Atualmente, existem vários sites e aplicativos que permitem acompanhar a passagem de satélites em sua localidade, como o N2YO ou o Heavens-Above. Basta informar as coordenadas e buscar o 3º lançamento da Starlink para saber os horários exatos das passagens no céu.

Exemplo de mapa da trajetória dos satélites (em verde) gerado pelo site N2YO para a cidade de São Paulo.

Os minissatélites estão a cerca de 300 km de altitude e completam uma volta em torno da Terra a cada 90 minutos. Eles estão alinhados, pois estão se movimentando para alcançar suas órbitas finais. Com o tempo, eles vão se separando, até o momento que ficará mais difícil encontrá-los no céu.

Atualmente, a Starlink possui 180 satélites em órbita. Estima-se que a rede comece a funcionar já no final de 2020.

Veja um registro em vídeo de maio do ano passado da passagem dos satélites da Starlink no céu.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de