Novo acordo entre Estados Unidos e China não inclui 5G

Donald Trump pretende limitar ainda mais o acesso de empresas americanas aos produtos da Huawei.

Foto: Jonathan Simcoe/Unplash

Nesta quarta-feira, 15, Donald Trump, assina um novo acordo com a China, que visa reduzir a guerra comercial entre os dois países. Entretanto, a política de barrar tecnologias chinesas nas redes 5G dos Estados Unidos permanece.

O longo conflito entre os dois países têm prejudicado o mercado financeiro e desacelerando o crescimento econômico global.


O principal foco do acordo inicial é a promessa do premiê chinês, Liu He, em comprar mais US$ 200 bilhões em produtos americanos nos próximos anos, entre eles manufaturados, agrícolas, energia e serviços, o que ajuda a reduzir o déficit comercial bilateral dos Estados Unidos.

No entanto, o presidente americano pretende manter tarifas em bens e componentes industriais chineses utilizados nos EUA. Além disso, a proibição da entrada de produtos chineses na infraestrutura de redes de telefonia do país continua. Questões sobre tecnologia e cibersegurança estão sendo deixadas para uma segunda fase do acordo.

VIU ISSO?

–> Rixa de Trump com Huawei é gerada por outros interesses, diz CEO

–> Governo chinês investiu US$ 75 bilhões na Huawei, diz jornal

–> América Latina vive armadilha dos EUA, segundo Huawei

Enquanto isso, Trump mantêm a sua posição de que os produtos da Huawei e outras empresas chinesas são um risco para a segurança nacional do seu país. O presidente americano ainda faz lobby em países aliados para que eles adotem a mesma proibição.

No Brasil, Marcos Pontes, atual ministro de ciência, tecnologia, inovações e comunicações já fez várias declarações públicas que o país não pretende impedir produtos chinesas nas futuras redes brasileiras de 5G.

Com informações de G1 e The Whashigton Post.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de