Acessibilidade à internet continua desigual no mundo, diz ONU

Acesso a telefones celulares melhorou, mas ainda existem lacunas na conectividade da população de muitos países.

Apesar da popularização dos smartphones, o mundo ainda é muito desigual sob o ponto de vista da conectividade. De acordo com um novo relatório publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), apenas 19% da população de países em desenvolvimento têm acesso à internet.

O número é muito diferente dos países desenvolvidos, em que 87% da população é conectada.


Segundo a ONU, o principal causador dessa desigualdade é o alto custo da internet. Em 2016, enquanto em países desenvolvidos o preço da conexão era de 3% do PIB per capita, em certos países em desenvolvimento esse número chega a 30%.

Entre todas as regiões analisadas, os prebanda larga fixaços mais altos estão na África. O custo anual do acesso à banda larga fixa ultrapassa 1.700% do PIB per capita na República Centro-Africana. Nos Estados Unidos este percentual é de 0,8%.

VIU ISSO?

–> Cerca de metade da população mundial não tem acesso à internet

–> Internet gratuita deveria ser um direito humano básico, diz estudo

–> Operadoras auxiliam campos de refugiados com cobertura, diz ONU

Além disso, existem disparidades na infraestrutura de telecomunicações entre regiões urbanas e rurais. Em países como Índia, Quirguistão e Moldávi, o uso de banda larga em grandes cidades é tão alto quanto em países desenvolvidos. Já nas áreas mais afastadas dos centros urbanos o índice é um dos mais baixos do mundo.

A organização defende que garantir a acessibilidade ajuda a melhorar governança nos países e facilitar a participação da população, ajudando indivíduos e grupos a expressar suas opiniões e reivindicarem causas comuns. Esse desenvolvimento sustentável só pode ser realizado, no entanto, se todos tiverem acesso à internet.

Com informações de ONU.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

1
DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
1 Número de Comentários
0 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
1 Autores de comentários
Helliton Soares Mesquita Autores recentes de comentários
  Acompanhar esta matéria  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Helliton Soares Mesquita
Colaborador

Não há nada de surpreendente nisso. Internet é caro mesmo. Obviamente por ganhar menos dá pra pagar salários menores e ter a mesma internet. O problema obviamente é o custo do material e aparelhos que ainda é alto. Zonas rurais tem um custo ainda mais elevado. Se uma fibra custa 4R$ por metro. Quem mora a 1km paga 4.000R$ e quem mora a 10km paga 40.000R$ é muito inviável esse custo.

Cidade - UF
Rondonópolis - MT