Telebras cobra Fifa dívida de R$ 9 milhões

Serviços prestados pela estatal para garantir conectividade durante a Copa do Mundo no Brasil ainda não foram pagos.

Em conjunto com Advocacia-Geral da União (AGU), a Telebras (TELB3) entrou com uma ação na justiça contra a Federação Internacional de Futebol (Fifa). A estatal cobra a quantia de R$ 9,257 milhões, acrescidos de juros e correção monetária, contados a partir de dezembro de 2014, por serviços de telecomunicações prestados durante o evento esportivo.

Na Copa do Mundo Fifa de 2014, no Brasil, a Telebras foi a responsável por fornecer as redes nacional e metropolitana de banda larga, para garantir a infraestrutura de transporte de dados de áudio e vídeo. O serviço era regulado pela Lei Geral da Copa e mantinha contratos celebrados com o Ministério das Comunicações.


Na época, por meio da sua subsidiária Telebras Copa, a empresa enviou comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que esses serviços teriam o valor global aproximado de R$ 110 milhões.

A Telebras também foi a responsável por construir a rede de fibra óptica utilizada na transmissão de imagens de alta definição entre os 12 estádios e o Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBC), no Rio de Janeiro.

VIU ISSO?

–> Fifa definiu o rumo do nosso 4G

–> Com apenas 10 dias de Copa, Oi anuncia recorde no tráfego de dados

–> Possível privatização impulsiona ações da Telebras

No entanto, no acordo com a Fifa, as receitas líquidas dos serviços de emissora seriam compartilhadas com a empresa brasileira.

A federação de futebol reconheceu em dezembro de 2014 o crédito que seria repassado para a Telebras, mas nenhum valor chegou a ser pago até o momento.

A infraestrutura de fibra óptica construída ficou de legado para utilização no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

Com informações de Telebras.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de