72% dos executivos querem 5G em 2020, diz pesquisa

Por outro lado, operadoras preferem o leilão no fim de 2020 ou mesmo em 2021.

Foto: Foundry Co/Pixabay

A Ericsson realizou entre os dias 29 e 31 de outubro, em São Paulo, uma pesquisa sobre a chegada do 5G no Brasil, com quase 900 executivos de fornecedores, provedores e empresas de telecomunicações. Segundo a sondagem, 72% disseram que o atraso do leilão da quinta geração de telefonia seria algo negativo para o mercado.

Além disso, 64% dos “decisores” do setor opinaram que o 5G tem um papel importante na transformação da economia do país. Apenas 7% alegaram ser favoráveis ao atraso do leilão.


“O 5G será o principal fator de transformação econômica, competitividade e ganho de eficiência dos mais diferentes setores da economia na próxima década. E o Brasil não pode perder o timing para dar mais esse importante passo”, afirma Tiago Machado, diretor de relações institucionais da Ericsson.

Machado acredita que o Brasil precisa de novas medidas regulatórias para assegurar que o leilão ocorra ainda em 2020. Ele aponta que também é importante o avanço na Lei Geral das Antenas em todos os municípios brasileiros.

VIU ISSO?

–> Por que o 5G é o coração da indústria 4.0?

–> Leilão de 5G poderá ocorrer no segundo semestre de 2020

–> Anatel escolhe empresa que vai testar o 5G no Brasil

No entanto, a opinião dos grandes players parece não acompanhar a dos executivos do setor. Representantes da Vivo, TIM e Oi indicaram preferir o leilão no fim de 2020 ou apenas em 2021.

Ontem, durante reunião do Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o conselheiro Emmanoel Campelo, que já havia solicitado vistas para o texto da consulta pública do edital do 5G, pediu uma nova prorrogação por até 60 dias.

Com isso, a consulta pública só deverá ser analisada pelo colegiado em 12 dezembro, a última reunião do conselho do ano. Dessa forma, é grande o risco que uma definição sobre o leilão do 5G só deve ocorrer em 2020.

Entre as novidades do texto está a possibilidade de que o leilão ocorra em fases e que alguns lotes sejam nacionais e outros regionais. Também estuda-se dividir o país em 14 regiões.

Com informações de Convergência Digital.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de